Português Italian English Spanish

Riva é solto da prisão domiciliar e vai para o semiaberto

Riva é solto da prisão domiciliar e vai para o semiaberto


Ex-deputado estava preso em casa depois de fechar colaboração premiada

O juiz Geraldo Fernandes Fidelis, da 2ª Vara Criminal de Cuiabá, reconheceu horas de estudo e concedeu a progressão da prisão domiciliar para o regime semiaberto ao ex-presidente da Assembleia Legislativa Geraldo Riva. A decisão é de quarta-feira (21).

Riva estava preso em casa desde que fechou acordo de colaboração premiada, homologado pelo Tribunal de Justiça em fevereiro de 2020. A defesa tentava a "remissão de pena", ou diminuição do tempo preso, em razão de prisões preventivas e tempo de estudo feito pelo ex-deputado.

Para o juiz, a defesa de Riva comprovou as horas de estudo, que incluíram uma graduação em Marketing.

Além disso, o ex-deputado fez uma pós-graduação em Tecnologias e Educação à Distância; uma pós-graduação em Tutoria em Educação a Distância; um curso de Informática Básica; um curso de Noções Gerais de Direito; um curso de Teoria Geral do Direito; além de ter estudado Antropologia do Direito, Políticas Públicas da Criança e do Adolescente, e Planejamento e Gestão de Obras Públicas.

Quanto à graduação em Marketing, o juiz Geraldo Fidelis reconheceu o pedido da defesa para acrescentar um terço (1/3) das horas e também a redução da pena por leituras de livros, dos quais Riva apresentou resenhas.

"Com efeito, o propósito da remição pelo estudo não é simplesmente diminuir o tempo de encarceramento, mas, sobretudo, fomentar a aquisição de novos conhecimentos e ferramentais educacionais por parte do apenado, de modo a facilitar a sua reintegração social", registrou o juiz.

Fidelis destacou que a progressão de regime de forma progressiva depende de requisitos preterminados, com o cumprimento de parte da pena e o bom comportamento.

"Sob essa perspectiva, da análise do cálculo de pena gerado pelo Sistema SEEU, denota-se que considerando que o tempo remido é computado como pena cumprida para todos os efeitos legais e a aplicação do acréscimo de 1/3 em razão da conclusão do curso superior, o apenado até a presente data cumpriu, já acrescidas a remição de 223 (duzentos e vinte e três) somados aos 46 (quarenta e seis) dias do (acréscimo 1/3) e a detração de 308 (trezentos e oito) dias, 03 (três) anos, 06 (seis) meses e 26 (vinte e seis) dias de pena, logo, já preencheu o requisito objetivo para a progressão de regime", avaliou.

O juiz destacou que não há informações nos autos acerca de violações cometidas
pelo apenado, restando, desse modo, preenchido, também, o critério subjetivo, concernente à progressão regimental".

 

 

MIKHAIL FAVALESSA
Da Redação

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário

Banner Superior Esquerda

Banner Central Esquerda

Banner Inferior Esquerda

 

 
 

 

 

COLUNAS E OPINIÃO

Blog do Samy Dana

Colunista O Repórter do Araguaia

Gerson Camarotti

Colunista O Repórter do Araguaia

 

VÍDEOS

 

Acesse nosso Canal no Youtube

 

NOSSOS PARCEIROS