Português Italian English Spanish

Funcionária que desviou quase R$ 400 mil de boutique é presa pela polícia

Funcionária que desviou quase R$ 400 mil de boutique é presa pela polícia


Entre os meses de julho e agosto deste ano, ela adquiriu, aproximadamente, R$ 25 mil em roupas em uma loja de luxo

A Polícia Civil de Mato Grosso, por meio da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Rondonópolis, deflagrou nesta quarta-feira (28) a Operação Cupiditas, para cumprimento de mandados de busca e apreensão e sequestro de bens contra uma mulher, que furtou quase R$ 400 mil da loja em que trabalhava.

Em agosto deste ano, a Derf de Rondonópolis instaurou um inquérito para apurar o crime de furto qualificado, por abuso de confiança e fraude, praticado pela investigada contra a boutique de roupas onde trabalhava.

Desvios

Conforme investigação da Derf, a autora do furto trabalhava como responsável pelo setor financeiro e, entre os meses de setembro do ano passado e agosto deste ano, desviou o montante de R$ 368.228,35 da conta da boutique.

Informações apuradas pela delegacia especializada, dados do boletim de ocorrência, depoimentos das vítimas, testemunhas e demais documentos reunidos no inquérito apontam que a investigada simulava o pagamento de duplicatas da empresa e fazia transferências, via PIX, para sua conta pessoal.

Os valores desviados também eram transferidos para contas de uma irmã e de sua mãe, além de outras pessoas. Ela ainda usava o dinheiro desviado para pagamentos de duplicatas e compras pessoais, como roupas, em outras em lojas da cidade.

De acordo com a auditoria financeira realizada pela vítima, foram efetuados pagamentos no valor de R$ 273.487,88 em nome da própria investigada e transferidos, via Pix, R$ 4.000,00 para a conta particular dela.

Outro pagamento, de R$ 40 mil, foi direcionado à irmã da investigada, enquanto a mãe dela recebeu R$ R$ 2.407,43. A autora do furto também fez 66 transações bancárias que totalizaram R$ 46.162,00, fracionadas para diversas pessoas.

Compras em lojas

As investigações apontam ainda que a investigada utilizou parte dos valores furtados da boutique, onde trabalhava, para comprar bens variados. Entre os meses de julho e agosto deste ano, ela adquiriu, aproximadamente, R$ 25 mil em roupas em uma loja de luxo da cidade, mesmo apresentando um rendimento salarial de R$ 3 mil.

Após representação da Derf, a Justiça autorizou o bloqueio de R$ 368 mil nas contas da investigada e de uma irmã dela, além dos mandados de busca e apreensão.

Nome da operação

Cupiditas significa ambição e avareza.

 

 

Da Redação

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário

Banner Superior Esquerda

Banner Central Esquerda

Banner Inferior Esquerda

 

 
 

 

 

COLUNAS E OPINIÃO

Blog do Samy Dana

Colunista O Repórter do Araguaia

Gerson Camarotti

Colunista O Repórter do Araguaia

 

VÍDEOS

 

Acesse nosso Canal no Youtube

 

NOSSOS PARCEIROS