02/06/2011 - 08h:20 OPERAÇÃO ALCAIDE Polícia Civil prende cinco vereadores e ex-prefeito de Alto Paraguai

 A Delegacia Especializada de Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública, da Polícia Judiciária Civil, prendeu na manhã desta quarta-feira (01.06), seis pessoas envolvidas em crimes de concussão – exigir dinheiro ou vantagem em razão da função -, formação de quadrilha, corrupção passiva e eventual prática de peculato, no município de Alto Paraguai (218 km a Médio-Norte), na operação “Alcaide”. Cinco são vereadores da cidade e um é ex-prefeito do município. Todos foram presos por mandado de prisão temporária.

 
Foram presos na operação o presidente da Câmara Municipal de Vereadores Jason Alves de Souza e os vereadores Gilbert de Souza Lima, Milton de Campos Luz, Aluisio Carvalho Júnior, Valdecy de Almeida Chagas. Em Cuiabá foi preso o ex-prefeito e irmão do presidente da Câmara de Alto Paraguai, Alcenor Alves. Os policiais também cumpriram mandados de busca e apreensão na Câmara dos Veredores.
 
De acordo com os delegados Lindomar Aparecido Tofoli e Alana Cardoso, há dois meses a Delegacia Fazendária recebeu denúncia do atual prefeito, Aldair José Alves Moreira,  sobre exigências ilegais de parte de um grupo de vereadores da Câmara Municipal de Alto Paraguai, para atender interesses particulares. Conforme a denúncia, os vereadores cobravam o pagamento de “mensalinho”, de R$ 500.
 
“Não são todos os vereadores que concordaram. Como o prefeito não aceitou, parte dos vereadores se reuniu para afastar o prefeito e em seu lugar iria assumir o presidente da Câmara”, explicou o delegado Lindomar Tofoli.
 
Por duas vezes o prefeito chegou a ser afastado do cargo, sem embasamento legal, mas conseguir retornar à Prefeitura. Com as investigações, ficou apurado outro crime, praticado com uso de notas fiscais frias para acobertar despesas particulares dos vereadores e contratação de ilegal de serviços.
 
A operação contou com apoio de policiais civis da Delegacia Regional e Diamantino. No dicionário "Alcaide", significa atingo governador de castelo ou província. Participaram da operação tres delegados, 5 escrivães e 11 investigadores.
 
LUCIENE OLIVEIRA
Assessoria/PJC-MT

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário