01/01/2015 - Taques: "Eu estou pronto para este futuro que se inicia agora"

Em seu discurso de posse, o governador Pedro Taques (PDT) reafirmou, na manhã desta quinta-feira (1), os principais compromissos assumidos durante a campanha eleitoral. 

Ele citou o Papa Francisco e o poeta Ricardo Guilherme Dicke, agradeceu aos eleitores e disse que pensou em ser governador de Mato Grosso, pela primeira vez, em uma ocasião, quando tinha 9 anos.

Taques também pregou a ética, a moralidade, e se comprometeu a fiscalizar "cada centavo" a ser gasto em sua gestão.

Segundo Taques, sua gestão será voltada para as pessoas que “mais necessitam”.“Juntos descobriremos novos caminhos para solucionar problemas que nos afligem. Juntos fiscalizaremos cada centavo aplicados nas políticas e cobraremos os resultados almejados”, afirmou.

“Assumi compromisso de governar para todos, não sou só governador daqueles que me elegeram, porque todo cidadão tem direito de escolher outros candidatos, mas, a partir de hoje, sou governador de todos. Governarei sobretudo para os mais pobres”, disse.

O governador ainda afirmou que irá respeitar a independência dos Poderes - e que não irá se “submeter” ao Legislativo.

“Assumo a missão de ser governador de Mato Grosso buscando a união dos Poderes, mas sem submissão ao Poder Legislativo. Aquele que deseja construir com a mudança terá espaço e encontrará as portas da administração sempre aberta”, afirmou.

Taques disse que Estado avançou em diversos setores, mas ainda se encontra em uma situação que “precisa melhorar”. 

Segundo ele, outro objetivo de sua gestão será dar transparência às ações do Executivo Estadual.

“Hoje formalizo meu compromisso de mudar uma sequiosa situação. Temos avançado muito em diversos setores. Mas persigo o sonho de quem não se sacia facilmente, e sei que esse sonho pode se tonar realidade”, disse.

“Nosso Estado precisa tratar gente com respeito e dignidade. Nós não deixaremos nenhum mato-grossense para trás, precisamos fazer com que o Estado tenha como norte a mudança de vida das pessoas”, afirmou.

“Estou pronto para essa mudança que já abriu as portas; para o futuro que se inicia agora”, disse.


Veja a íntegra do discurso:

"Bom dia,
Senhor presidente do Tribunal de Justiça,
Senhor presidente da Assembleia Legislativa,
Secretários que deixam o cargo, secretários que assumirão o cargo; senhores parlamentares estaduais e municipais; membros do Poder Judiciário e Ministério Público;
Prefeitos; autoridades religiosas, autoridades civis e militares;
Autoridades indígenas;
Representantes de federações, associações e entidades de classe;
Representantes de partidos políticos, lideranças comunitárias;
Representantes da nossa imprensa;

Uma saudação carinhosa à minha mãe, dona Eda; à minha esposa, Samira Martins; minha filha, Renata; ao meu pai, Seo Nego, e todos os demais amigos e familiares;

Senhores,

O maior desafio de um homem sempre será o equilíbrio entre a razão e a emoção. Ser racional para buscar soluções às adversidades e ser sensível para perceber o mundo à sua volta.

Hoje, é um dia em que me divido entre a emoção de assumir tão importante compromisso que me foi confiado pelo povo mato-grossense; e a razão necessária para enfrentar os desafios que virão.

Ser governador de Mato Grosso é uma honra. É um desafio que exige o melhor do meu esforço e dedicação.

Hoje, empresto a inspiração do Papa Francisco que, melhor do que eu, pôde exprimir o que penso e sinto: 

"Aprendi que para ter acesso ao Povo Brasileiro, é preciso ingressar pelo portal do seu imenso coração: por isso permitam-me que nesta hora eu possa bater delicadamente a esta porta."

É para os mato-grossenses que aqui nasceram, e para os mato-grossenses de coração, que quero reforçar meu compromisso com a mudança, pois essa sim é nossa única constante.

Rememoro nossa história:

Quando esta terra em que habitamos ainda não era conhecida por Mato Grosso, os primeiros migrantes que aqui chegaram, movidos pela esperança de uma vida melhor, em busca do Eldorado, encontraram inúmeras riquezas materiais e imateriais. Do Arraial da Forquilha ao gigante Estado de Mato Grosso.

Nossos primeiros mato-grossenses perseguiam naquela época tantos sonhos quanto perseguimos hoje; pois o sonho se multiplica na medida em que é saciado.
Como nosso poeta Ricardo Guilherme Dicke declamou em seus versos:

"Saciado
como a preponderância do sonho sacia
entre os caminhos que se multiplicam no presente
saciado enfim do Tempo que quanto mais sacia
mais fica por saciar
persigo o sonho que não sacia
saciado da opulência do sonho
sequioso da sofrida realidade."

Dicke, poeta mato-grossense, imortalizou em sua poesia a essência de um povo que sonha demasiado e que luta na mesma proporção. Um povo feito de gente como a Família Taques, que chegou nestas terras por volta de 1719; e que se juntou a povos como a família do vice-governador Carlos Fávaro que veio pra cá em outro momento histórico.

Hoje, eu formalizo meu compromisso de mudar essa "sequiosa realidade", reconhecendo que muito temos avançado em diversos setores, mas, como já dissera o poeta: "persigo o sonho que não sacia", pois sei que esse sonho pode se tornar realidade.

Assim como a união de diferentes povos foi imprescindível para a criação de Mato Grosso, é de suma importância que a nossa relação com os Poderes Legislativo e Judiciário seja de harmonia.

Todos terão que contribuir com esse momento. Vamos respeitar a independência dos poderes, convidando-os sempre para ouvirmos juntos e atentos as vozes da sociedade. Este diálogo será um marco em nossa gestão e mais uma vez é o Papa Francisco quem diz: "Apenas os que dialogam podem construir pontes e vínculos".

Este mesmo diálogo buscaremos com o Governo Federal. Vamos ter com a presidente Dilma Rousseff a melhor das relações. Vamos continuar trabalhando para orgulhar o país e contribuir com o PIB brasileiro. É por isso também que iremos reivindicar tudo o que Mato Grosso precisa do governo federal.

Senhores,

A importância desse diálogo com os demais Poderes da República e com a sociedade reside nos sonhos de cada cidadão. Dos sonhos da avó Leonor, da dona Eda (minha mãe), de tantas Marias e Josés, nasce o nosso projeto de realizar mudanças. Transformar este Estado em um lugar mais eficiente, justo e transparente. Num lugar melhor para se viver.

Qualquer caminho serve para quem não sabe onde ir. E nós sabemos aonde queremos chegar. Temos um Plano de Governo que foi pensado e trabalhado durante meses; elaborado a partir de estudos setoriais e dos dados estatísticos disponíveis, bem como da colaboração de técnicos, empresários e representantes dos diferentes setores da sociedade que nos trouxeram sua visão sobre a realidade mato-grossense.

A partir dessa construção coletiva, organizamos cinco Eixos Estruturantes, que representam os diferentes aspectos dos desafios que se apresentam à ação do governo estadual nos próximos quatro anos. Aí não são mais sonhos. São metas que já perseguimos desde já:

Para Viver bem, o cidadão necessita de um conjunto de serviços públicos que atendam às necessidades mais fundamentais como a saúde, a segurança pública, as políticas sociais e de proteção aos menos favorecidos.

O Estado precisa Educar para transformar e emancipar, por isso teremos “mania de educação”.

A qualidade de vida da população e a preservação do meio ambiente serão garantidas por ações conjugadas das políticas de habitação, regularização fundiária e urbanística, mobilidade, acessibilidade e proteção ambiental. Essas são as diretrizes do eixo Cidades para viver bem: Municípios sustentáveis.

Para estimularmos um Estado Parceiro e Empreendedor, desenvolveremos novas políticas de tributação, logística e fomento econômico; bem como aquelas especificamente destinadas à agropecuária, indústria, mineração, comércio, turismo, entre outras.

Com muito esforço, organização e perseverança faremos dessa gestão uma gestão eficiente, transparente e integrada.

Senhores parlamentares da atual e da nova legislatura,

Nosso dever é trabalhar todos os dias para apontar caminhos, dar exemplos e buscar novas formas de superar as assimetrias. Os mato-grossenses que nos deram mandato não esperam que todos os problemas sejam resolvidos de uma só vez. Eles não esperam que nós nesta Casa estejamos de acordo em todas as questões. Mas esperam que coloquemos os interesses do Estado acima de qualquer interesse político-partidário.

De mão estendida e com o coração efusivo de esperança, assumo a missão de ser governador de Mato Grosso buscando a união com o Poder Legislativo. A minha história me blindou contra a divisão e a intriga.

Aquele que deseja, de fato, contribuir com a verdadeira mudança terá espaço e encontrará as portas da administração sempre abertas, sem que seja necessário abdicar de suas crenças. O nosso governo saberá conviver com as divergências e respeitará a oposição, principalmente a sua função de acompanhar e fiscalizar os atos da administração.

O cidadão espera que cheguemos a um entendimento razoável sempre que possível. Porque sabem que Mato Grosso avança na medida em que trabalhamos juntos. A responsabilidade de melhorar a vida das pessoas é de todos nós.

Reforço que o diálogo será estendido à população, que está convidada a participar ativamente desse governo, a fazer sugestões e nos ajudar em nossas decisões.

E nós iremos ouvir. Ouvir com atenção. Ouvir com humildade. Ouvir de verdade.

Nossos secretários estarão à disposição de todos para fazer o mesmo.

Amigos,

Sou daqueles que encara a democracia como o mais valioso dos direitos fundamentais, na medida em que incorpora os princípios da igualdade e da liberdade, abraçados à justiça.

O constitucionalista brasileiro Paulo Bonavides - à luz da concepção de democracia consagrada por Lincoln, como sendo “um governo do povo, pelo povo e para o povo” – descreve bem o nosso ideal:

“Uma democracia conceituada como aquela forma de exercício da função governativa em que a vontade soberana do povo decide, direta ou indiretamente, todas as questões de governo, de tal sorte que o povo seja sempre o titular e o objeto, a saber, o sujeito ativo e o sujeito passivo do poder legítimo”.

Hoje,

Nós damos prosseguimento a uma jornada incansável e, talvez, sem fim, para aproximarmos o significado dessas palavras à realidade de nosso tempo.

Juntos, descobriremos novos caminhos para solucionar os problemas que nos afligem; sempre buscando melhorar a vida dos mato-grossenses.

Juntos, fiscalizaremos cada centavo aplicado nessas políticas e cobraremos, em cada área, os resultados almejados pelo cidadão.

Por isso, vamos ampliar nossos canais de comunicação com a sociedade utilizando a internet, as mídias sociais, as mídias de massa, as Audiências Públicas e as reuniões comunitárias.

Juntos, construiremos o modelo de gestão participativa que almejamos.

Com humildade e disposição, busquemos entender de forma lúcida que, quando os tempos mudam, nós também precisamos mudar. E se não mudarmos, seremos “mudados”.

Temos a oportunidade de fazer diferente para fazer a diferença.

Diante da minha família, meu bem mais precioso, afirmo:

Eu estou pronto para essa mudança que já abriu as portas; para este futuro que se inicia agora.

Amigos de Ponte Branca, Carlinda, Porto Estrela, Cuiabá, Acorizal, Campo Verde, Alta Floresta e Nova Mutum. Amigos de Guarantã do Norte, Tangará da Serra, Barra do Bugres, Peixoto de Azevedo, Cáceres, Torixoréu e Santa Cruz do Xingu. Amigos de Alto Paraguai, Alto Araguaia, Várzea Grande, Paranaíta, Santa Terezinha e Jangada. Amigos de cada canto dos 141 municípios de Mato Grosso.

Assumi o compromisso de governar para todos. E assim o farei. Governarei, sobretudo, para os mais pobres e para os que mais precisam. Se o Governo tem sede em Cuiabá, Capital do Estado, terá presença em todas as cidades.

Faço mais um vez o compromisso de muito trabalho, o compromisso de que os serviços públicos funcionem de verdade. E acima de tudo, faço o compromisso de realizar um governo transparente, que estará em constante diálogo com a sociedade. Podem esperar de nós um governo aberto, intransigente com a corrupção e cuidador das pessoas.

Com muita humildade, peço a colaboração de todos os servidores públicos. A eles que são o maior patrimônio do nosso Estado, renovo o compromisso de valorização e respeito.

Que a fidelidade aos princípios republicanos nos conduza a novas respostas para os novos e velhos desafios.

Agradeço, mais uma vez e sempre, a Deus, que não me faltou com a fé nem nos momentos mais duros dessa longa jornada servindo ao Estado.

Em 2010, setecentos e oito mil, quatrocentos e quarenta cidadãos de Mato Grosso me mandaram para o Senado da República.

Agora, oitocentos e trinta e três mil, setecentos e oitenta e oito pessoas, me mandam de volta para a minha terra como governador.

E, nesta nova fase, continuo junto aos mais de três milhões de cidadãos que desejam que Mato Grosso seja um Estado de Transformação. 

Muito obrigado"

 

 

Douglas Trielli 
Da Redação

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário