01/02/2014 - Justiça Federal determina que Arcanjo fique preso por mais um ano em Rondônia

João Arcanjo Ribeiro não voltará mais para cumprir pena em Cuiabá. O ex-bicheiro Arcanjo vai permanecer preso na Penitenciária Federal de Segurança Máxima de Rondônia, por mais um ano. A decisão é da juíza Juliana Maria da Paixão, da 3ª Vara Criminal de Porto Velho, a mesma que havia determinado o retorno do ex-bicheiro para Cuiabá.

Na terça-feira (28) o juiz titular da 2ª Vara Criminal de Cuiabá, Geraldo Fernandes Fidelis Neto, solicitou que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) suspenda o retorno de ex-bicheiro João Arcanjo Ribeiro para Mato Grosso. O magistrado apontou quesitos que sustentam a necessidade do ex-líder do crime organizado em Mato Grosso permanecer no Presídio Federal de Porto Velho (RO).

De acordo com a o magistrado, a Justiça Federal "só poderia indeferir a permanência do preso junto ao sistema prisional de segurança máxima caso apresentasse critérios objetivos, como a incapacidade de receber novos presos ou por justificar lotação máxima da penitenciária".

De acordo com o Ministério Público do Estado (MPE) Arcanjo possui participação nos assassinatos de Mauro Sérgio Manhoso, Rivelino Jacques Brunini, Fauze Rachid Jaudy, Valdir Pereira, Leandro Gomes dos Santos, Celso Borges, Mauro Celso de Moraes. 
Há ainda uma tentativa de homicídio contra Gisleno Fernandes. Todos os delitos foram registrados entre os anos 2000 e 2002, em Cuiabá e Várzea Grande.

 

Da Redação - Katiana Pereira

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário