01/03/2011 09h:51 Ministério Público denuncia 29 militares e pede prisão de 7 por tortura e morte de soldado em treinamento do Bope

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE) ofereceu denúncia contra 29 policiais militares e pediu a prisão preventiva de sete deles por conta do treinamento realizado em 24 de abril de 2010 pelo Batalhão de Operações Especiais de Mato Grosso (Bope) que terminou com a morte do soldado Abinoão Soares de Oliveira, 34.

O promotor Vinicius Gahyva Martins ressaltou que foram pedidas as prisões preventivas apenas desses sete envolvidos por conta da manutenção da ordem pública e conveniência da instrução criminal, pois, de acordo com o MPE, os oficiais, que possuem patentes elevadas, poderiam interferir no andamento dos tramites processuais.

Os envolvidos respondem pelos crimes de tortura seguida de morte e tortura qualificada. Isso porque além de Abinoão, mais soldados foram vítimas dessa prática, no entanto apenas ele acabou morrendo durante os treinamentos. O promotor declarou que o número de torturados chega a 19 e que as torturas foram detectadas em pelo menos 25 situações diferentes ao longo do curso.

“A investigação não foi só no momento da morte do soldado. Nós levamos em conta os três dias de curso anteriores ao fato. As vítimas de tortura eram escolhidas previamente pelos agressores”, explicou o promotor.

O corregedor da Polícia Militar, coronel Sampaio, declarou que as provas levantadas pelo inquérito são contundentes e que os policiais envolvidos continuarão afastados de suas atividades cotidianas, mas seguirão prestando serviços à corporação.

Quanto ao possível afastamento dos principais envolvidos, ele disse que ainda é muito cedo para adiantar tal punição, mas garantiu que existem inúmeras penas administrativas e que certamente os oficiais seriam penalizados.

O coronel também adiantou que desde a morte de Abinoão, que houve uma mudança na preparação policial e, de acordo com ele, o caso serve como um exemplo para o que nunca mais deve ser repetido.

O advogado da família de Abinoão, Alfredo Gonzaga, disse que a conclusão do inquérito e denúncia feita pelo MPE satisfazem o desejo de justiça da família da vítima. Momentos da divulgação da denúncia do Ministério Público, o site Olhar Direto conversou por telefone com familiares do soldado que estão em Brasília. Sandra Márcia Albuquerque, tia de Abinoão, afirmou que estava aflita e esperançosa com o desfecho que a história do sobrinho teria.

Segue a lista dos oficiais que tiveram a prisão preventiva decretada:

Tenente coronel da PMMT Heverton Mourett de Oliveira.
Major do CBMMT Aluisio Metelo Júnior.
Capitão da PMMT Ricardo Tomas da Silva.
1º tenente da PMMT Arnaldo Ferreira da Silva Neto.
1º tenente da PMMT Carlos Evane da Silva.
1º tenente Dulcésio Barros Oliveira
1º tenente da PMMT Ernesto Xavier de Lima Júnior

 

Da Redação - Lucas Bólico