01/03/2011 00h:30 Polícia Civil alerta população sobre o golpe do frete no Baixo Araguaia

A Polícia Judiciária Civil de Ribeirão Cascalheira (900 km a Leste) alerta à população sobre o golpe do frete, aplicado na região do Baixo Araguaia. Um rapaz identificado como Valdery dos Santos Vieira, 26, que está foragido, é o principal suspeito do golpe tipificado como estelionato.
 
De acordo com o delegado Marcos Leão, a população deve ficar atenta a essa modalidade de golpe do frete.  Segundo ele, o suspeito contrata um frete para transportar sua mudança até outra cidade. Negociado o valor do serviço, o suspeito faz um depósito fictício de uma quantia maior na conta do lesado, alegando que é de alguém que lhe deve, geralmente a própria mãe, e pede o troco. A vítima vai ao banco, constata o depósito bloqueado e, assim, entrega a diferença ao estelionatário. Iniciada a viagem, o indivíduo inventa uma desculpa qualquer, geralmente doença em alguém da família, e diz que precisa retornar, deixando o frete para ser realizado em outra ocasião, mas depois desaparece. Quando a vítima verifica sua conta bancária, descobre que o depósito efetuado pelo suspeito era resultante de um envelope vazio.
 
Entenda o caso
 
No dia 20 de fevereiro deste ano, um homem identificado como Valdery foi até uma residência da cidade, onde negociou com a vítima um frete para Porto Alegre do Norte no valor de R$ 700. Depois de duas horas, o suspeito voltou à residência e disse que sua mãe havia depositado uma quantia de R$ 1,5 mil na conta da vítima, entretanto, precisava da devolução do dinheiro depositado a mais. Após confirmação do depósito, através de extrato bancário, a vítima devolve ao estelionatário o restante do dinheiro, referente à R$ 350. Com o frete já contratado, a viagem foi feita, mas paralisada no Distrito de Vila Campinhas, situada no município de Bom Jesus do Araguaia (983 a Nordeste), posteriormente a uma ligação telefônica de Valdery, que disse à vítima que precisa suspender a viagem porque sua mãe ter tido um mal súbito, por isso o frete teria que ficar para o outro dia.
 
O estelionatário ainda pediu mais R$ 300 à vítima e desapareceu em seguida.
 
Assessoria/PJC-MT