01/03/2011 09h:59 Prefeito respalda irregularidades no PAC, diz advogado

O prefeito de Cuiabá, Chico Galindo (PTB), vem dando respaldo à comissão de licitação que estaria agindo de forma ilegal, conforme consta da decisão do juiz titular da Segunda Vara Especializada da Fazenda Pública de Cuiabá, Márcio Aparecido Guedes, referente aos processos licitatórios dos lotes 6 e 7 do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A informação é do advogado Huendel Wender, que defende a empresa Engeglobal.

“Antes de qualquer medida judicial sempre tentamos a via administrativa e notificamos o prefeito, diretamente em seu gabinete, para não ter justificativa de que não sabia. Ele tem ciência dos fatos e vem mantendo as tomadas de decisões da comissão de licitação e da Procuradoria do município”, afirmou em entrevista ao Olhar Direto.

O magistrado anulou as licitações dos lotes 6 e 7, no quais a empresa Engeglobal havia sido desclassificada pela comissão. Porém a construtora, por força de uma liminar, conseguir participar dos processos licitatórios. O curioso é que mesmo apresentando valores mais baixos do que as sagradas vencedoras a empresa acabou perdendo a disputa.

Conforme consta do processo licitatório do lote 7 que quatro empresas participaram da concorrência, porém duas delas, a TCO e a Costa Gomes, apesar de terem apresentados preços inferiores, foram desclassificadas e não recorreram.

Sendo assim, a Engeglobal se propôs realizar as obras por R$ 18.731 milhões, enquanto a Encomind, vencedora da licitação, apresentou a proposta de R$ 19,561 milhões.

Já no lote 6, a empresa Texas Construções e Incorporações Ltda venceu a licitação com o valor de R$ 11.615 milhões, enquanto a Engeglobal se propôs realizar a obra por R$ 9.962 milhões.

 

Da Redação - Alline Marques