01/03/2016 - Médicos vão suspender partos pelo SUS

01/03/2016 - Médicos vão suspender partos pelo SUS

Os médicos obstetras que trabalham no Hospital Santa Helena, em Cuiabá, ameaçam não realizar mais partos (normal e cesárea) pelo SUS a partir de 30 de março. Categoria alega que o valor pago por diária de plantão é a metade do que vem sendo oferecido na rede particular. Os profissionais pedem que o Estado e Município ofereçam uma proposta de reajuste para não prejudicar o atendimento das gestantes.

O diretor da unidade e médico obstetra, Ricardo Saad, explica que a ampliação das maternidades de dois hospitais particulares oferecendo o dobro do valor pago pelo plantão "complicou a situação. Hoje a média paga por plantão aqui no Santa Helena pelo SUS é R$ 1 mil, enquanto na rede privada o profissional recebe o dobro e faz bem menos partos durante o plantão”.

Por este motivo, a direção cobra do governo estadual contrapartida para melhorar o valor pago a estes profissionais. Segundo Ricardo, todas as maternidades da baixada cuiabana devem receber incentivo do Governo Federal para pagamento de obstetras, o que não está ocorrendo com o Santa Helena. “O hospital recebe taxa única do governo para a realização de partos, que é dividido por todos os obstetras que realizaram plantão no mês. A unidade tem 25 médicos nesta área revezando nos plantões”.

A direção está tentando uma reunião há mais de 2 meses com o secretário estadual de Saúde para debater a situação e evitar a interrupção do serviço, mas até o momento não foi possível o encontro. Eles denunciaram a situação também ao Ministério Público Estadual (MPE).

Segundo o diretor, durante um plantão no hospital o médico chega a realizar 12 partos enquanto na rede privada é no máximo 3. Para conseguir atender a demanda de pacientes é preciso no mínimo 2 obstetras por turno de 12 horas.

O hospital realiza em média 800 partos por mês, sendo que 25% das grávidas atendidas são de Várzea Grande, 40% do Estado e apenas 35% moram na Capital. A maior demanda é na sexta-feira, sábado e domingo.

Outro lado

O GD entrou em contato com a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Saúde (SES), que informou por meio de nota que o contrato dos médicos obstetras do Hospital Santa Helena é de responsabilidade do município de Cuiabá.

Já a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) não atendeu os telefones informados no portal da unidade até a publicação desta matéria.

 

Jéssica Moreira, repórter do GD

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário