01/04/2014 - Médico cubano do Mais Médicos é achado morto em hotel de Brasília

Ministério da Saúde não informou nome do profissional, que tinha 52 anos. Ele participava de curso de formação; polícia investiga hipótese de suicídio.

Um médico cubano que participa do programa Mais Médicos, do governo federal, foi encontrado morto em um quarto do Hotel Nacional, em Brasília,  na tarde desta segunda-feira (31). A polícia investiga a causa da morte. Há a suspeita de que ele tenha cometido suicídio – um lençol estava enrolado no pescoço dele.

Peritos da Polícia Civil passaram cerca de uma hora e meia no local. O corpo foi encontrado por uma camareira por volta das 14h. O médico estava encostado em uma janela do quarto onde estava hospedado, que fica no quarto andar do hotel.

O Ministério da Saúde não divulgou o nome do médico, mas disse que ele tinha 52 anos. Ele não fazia atendimento a pacientes, pois ainda participava de uma das etapas do curso dado aos médicos estrangeiros inscritos no programa.

O trabalho da perícia foi acompanhado por cubanos ligados à embaixada do país caribenho em Brasília. A embaixada de Cuba foi acionada para comunicar os parentes do médico da morte dele.

Depois que o corpo for liberado pelo Instituto Médico Legal de Brasília, será levado para Cuba. O traslado ficará por conta da Organização Pan-americana de Saúde (Opas), segundo o Ministério da Saúde.

Carro de polícia em frente ao hotel em Brasília onde corpo de médico foi encontrado (Foto: Lucas Salomão/G1)Carro de polícia em frente ao hotel em Brasília onde corpo de médico foi encontrado
(Foto: Lucas Salomão/G1)

Um funcionário do hotel, que não quis se identificar, disse que o médico tinha problemas conjugais no país dele. Segundo o funcionário, o homem ligava diariamente para a mulher. Em uma das conversas, a mulher teria dito que já tinha outro companheiro em Cuba.

Investigação
A Polícia Civil do Distrito Federal informou, por meio de nota, que investiga o caso como suicídio. De acordo com a polícia, outros médicos ligados ao programa federal e funcionários do hotel já foram ouvidos.

O caso é investigado pela 5ª delegacia de Brasília. Quando for finalizado, o inquérito será remetido ao Judiciário, informou a delegacia..

 

 

 

  

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário