01/04/2015 - Deputados membros receberam doações de possível investigado

Os deputados estaduais Wilson Santos (PSDB) e Wancley Carvalho (PV), membros da CPI da Sonegação, instalada nesta terça-feira (31) na Assembleia Legislativa, receberam doações, durante a campanha eleitoral, do empresário Eraí Maggi, dono do grupo Bom Futuro.

Maggi, considerado o "Rei da Soja", será um dos prováveis alvos da CPI, por ter sido supostamente beneficiado por meio de um esquema que teria se utilizado de fraudes e simulação de transações comerciais envolvendo a Cooperativa Agroindustrial de Mato Grosso (Cooamat). 

A denúncia foi feita à Polícia Federal e outros órgãos, como o Ministério Público Federal (MPF) e Tribunal de Contas do Estado. 

A CPI, presidida pelo deputado estadual Zé do Pátio (SD), investigará a sonegação fiscal, os incentivos fiscais e regimes especiais.

Wancley, que é justamente sub-relator responsáveis pela investigação da cooperativas, recebeu R$ 25 mil de Eraí Maggi, no dia 5 de setembro de 2014. 

O repasse foi feito pelo então candidato a deputado federal Ezequiel Fonseca, presidente do PP, que recebeu o valor de Maggi e o repassou a Wancley. 

A transação foi declarada ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT). O deputado do PV teve receitas declaradas de R$ 441.828,83.

Outras empresas do setor agropecuário também fizeram doações a Wancley (veja a relação completa  AQUI).

Doação de R$ 25 mil de Eraí a Wancley


R$ 100 mil

Já Wilson Santos, líder do Governo Pedro Taques no Parlamento, recebeu de Eraí Maggi R$ 100 mil, no dia 22 de agosto de 2014. O empresário rural foi o maior doador individual do tucano. 

O parlamentar é responsável pela sub-relatoria que investigará o "Regime Especial" utilizado pela Sefaz (Secretaria de Estado de Fazenda).

Ele também recebeu R$ 30 mil da Cervejaria Petrópolis, beneficiada por incentivos fiscais em Mato Grosso.

À Justiça Eleitora, Wilson Santos declarou arrecadação total de R$ 797.003,00 (veja a relação completa AQUI ).

Segundo apurou a reportagem, o deputado estadual Max Russi (PSB), outro membro da CPI, também recebeu doação da Cervejaria Petrópolis, no valor de R$ 28.960,00.

Doação de R$ 100 mil de Eraí a Wilson Santos

A CPI

A CPI que irá apurar denúncias de uma suposta prática de sonegação de impostos por parte de empresas que são beneficiadas com a política estadual de renúncia fiscal foi proposta pelo deputado Zé Carlos do Pátio (SD).

O objetivo é verificar distorções no crescimento de Mato Grosso, que apresenta números positivos em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), mas, em contrapartida, tem o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) como um dos piores do país.


A comissão quer, ainda, verificar se as empresas beneficiadas com a concessão de benefícios fiscais estão realmente retornando o benefício ao Estado por meio da geração de empregos, por exemplo.

Segundo Pátio, mais de 400 contratos que devem ser analisados, no prazo regimental de 180 dias. 

 

 

Douglas Trielli 
Da Redação

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário