01/08/2012 Professores da rede municipal de Luciara-MT, optaram por permanecer em greve por tempo indeterminado.

“O REPÓRTER DO ARAGUAIA”, entrevista os professores municipais de Luciara-MT e de acordo com Maria Auxiliadora representante do movimento da greve diz que optaram por manter a paralisação uma vez que estamos nesta luta por mais de dois anos tentando negociar com o prefeito municipal mandamos vários ofícios e não obtivemos sequer uma resposta, não é justo sermos tratados dessa forma queremos apenas nossos benefícios que é de direito, explica Auxiliadora.

Segundo a coordenadora Lizieike, “No entanto resolvemos radicalizar cruzando os braços, para que assim seja feita uma proposta descente e ele possa atender nossas reivindicações”, o que estamos lutando é não por aumento de salário mais sim pelo enquadramento, pelo piso nacional que é de direito, uma vez que mantém a carreira desestruturada. Concluiu a servidora.

 

Outro Lado

A Prefeitura de Luciara informa que um grande número de servidores está desistindo do movimento, e que dará início às aulas e aos trabalhos da creche conforme calendário escolar normalmente, com os servidores que retornarem aos trabalhos.

Na última reunião entre os representantes grevistas e a Administração, o Prefeito deixou claro que não poderia dar o aumento devido ao período eleitoral, que não é contrario ao movimento. Disse ainda que não poderia pagar os dias parados dos grevistas sem um amparo legal, ou seja, uma decisão judicial que o ampare. Caso pague os dias não trabalhados, ele poderá responder por improbidade administrativa.

 

No dia 13 de julho, em reunião mediada pela Promotora de Justiça, a mesma esclareceu várias dúvidas sobre movimento grevista e administração pública. Deixou claro também que os dias paralisados precisariam ser repostos, para então a Prefeitura pagar. Foi sugerida a proposta de pagamento dos aumentos depois de outubro, inclusive com pagamento dos retroativos, a interrupção da greve e uma programação de reposição dos dias trabalhados. O sindicato ficou de formalizar uma contraproposta, que seria discutida em nova reunião com mediação da Promotoria de Justiça, prevista para o dia 20/07.

 

O sindicato até o momento não formalizou nenhum documento à administração pública, decidindo continuar a greve por período indeterminado. A Promotoria de Justiça nesta data (31/07) informou através de ofício que não mais poderá se envolver, cabendo qualquer tipo de acordo de ora em diante somente através de meios judiciais.

 

Texto: Ivone Lima, Entrevista: Vanessa Lima

O Repórter do Araguaia com Pontal do Araguaia News

Comentários

Data: 08/08/2012

De: Servidor

Assunto: Greve

Um servidor acha um ato irresponssavél por parte da secretária de educação, iniciando as aulas com pessoas que não tem qualificação, que compromisso a gestão tem com a educação de Luciara?
Faço aqui um apelo para os pais! Olhem bem para quem vai dar aula para seus filhos...

Novo comentário