01/08/2016 - Novas rotas ampliam aviação regional e reduzem distâncias em MT

01/08/2016 - Novas rotas ampliam aviação regional e reduzem distâncias em MT

Há pouco mais de um mês a empresa Azul Linhas Aéreas, um das líderes na aviação regional brasileira, começou a operar um novo trecho diário em Mato Grosso ligando Cuiabá a uma das mais prósperas cidade do país, Sorriso, considerada a capital nacional do agronegócio.

Depois de Sorriso, o próximo destino da empresa será Barra do Garças, maior cidade do leste mato-grossense, localizada na região Araguaia. A previsão é de que o voo comece a operar a partir da segunda quinzena de outubro. A empresa aguarda a aprovação do pedido feito à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

A decisão da empresa em ampliar as operações em Mato Grosso ocorreu após a sanção da lei que criou o Programa Estadual de Estímulo à Aviação Regional - Voe MT, que estimula a implantação e expansão de linhas aéreas no estado. Pelo Voe MT, as companhias aéreas podem obter redução da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para compra de querosene de aviação. O programa foi criado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec) e faz parte da estratégia do governo em fomentar o turismo e transformá-lo em um dos principais pilares do desenvolvimento econômico do Estado, a exemplo do agronegócio.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Ricardo Tomczyk, destaca que os investimentos representam um fomento à economia e ampliam as opções de locomoção pra quem vem ao estado a negócios ou lazer.

O diretor de expansão da Azul, Ronaldo Veras, afirmou na ocasião do primeiro voo à Sorriso que sem o Voe MT, a empresa não teria tomado a decisão de operar esses dois destinos. “O programa significa a sustentabilidade desses voos. Hoje o combustível representa mais de 40% nos custos de operação. Esses incentivos vieram para abrir as portas para as companhias que desejavam operar novas linhas”, disse.

Ampliação

“O início das operações em Barra do Garças, previsto para outubro, expandirá oportunidades para toda uma região que terá ainda mais agilidade em seus negócios e movimentação turística. Estamos apostando em uma operação forte na cidade, uma vez que também atenderemos a várias localidades vizinhas a Barra do Garças”, destaca Daniel Tkacz, diretor de Planejamento de Malha da Azul.

Com a chegada da sexta base em Mato Grosso, a Azul ampliará a liderança estadual, com aproximadamente 30 decolagens diárias que partem de suas outras cinco cidades: Cuiabá, Alta Floresta, Sinop, Rondonópolis e Sorriso.

Como a companhia fez a solicitação dos voos à Anac, as passagens para Barra do Garças começarão a ser comercializadas somente após a aprovação da operação pelo órgão regulador, quando serão divulgados também os valores das tarifas dos voos. A operação diária será no início da tarde, com duração de uma hora e 15 minutos.

O secretário adjunto de Turismo da Sedec, Luis Carlos Nigro, destacou o desenvolvimento do turismo para a região do Araguaia. “Com esses voos diários encurtaremos distâncias. Isso significa desenvolvimento e geração de emprego e renda para a população da região”.

Aeroportos regionais

Mato Grosso deve receber R$ 500 milhões em recursos do Governo Federal para investimentos em 13 aeroportos regionais. O montante faz parte do Programa Federal de Auxílio a Aeroportos da Secretaria de Aviação Civil e foi confirmado ao Governo do Estado em junho desse ano.

De acordo com a Secretaria Nacional, dos 13 aeródromos mato-grossenses contemplados no programa, nove estão em fase de elaboração de anteprojeto, etapa que antecede a licitação das obras. São eles: Alta Floresta, Barra do Garças, Cáceres, Juara, Rondonópolis, São Félix do Araguaia, Sinop, Tangará da Serra e Vila Rica. Juína, Matupá e Pontes e Lacerda estão com a análise de estudos preliminares concluídas. Lucas do Rio Verde tem estudos de viabilidade técnica em análise.

O objetivo do programa é que 96% da população esteja a, no máximo, 100 quilômetros de um terminal aeroportuário. Hoje, mais de 40 milhões de brasileiros vivem a centenas de quilômetros do aeroporto mais próximo.

 

 

 

Raquel Teixeira | Sedec -MT

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário