01/09/2012 - Assaltante preso em Nova Xavantina é acusado por vários assaltos em Fernandópolis, SP.

 

Eduardo Marques Ferreira 21 anos foi apresentado para reconhecimento das vitimas em Fernandópolis (SP)

Agentes da Delegacia de Investigações Gerais de Fernandópolis - DIG – apresentaram na manhã desta sexta-feira (31), um suspeito de praticar uma onda de assaltos na cidade entre os dias 14 15 e 16 de julho. 

Eduardo Marques Ferreira 21 anos foi apresentado para reconhecimento das vitimas é suspeito de participar de pelo menos quatro assaltos a mão armada registrados em Fernandópolis no mês citado. 

Segundo informações, Eduardo e seu primo Julio Cesar Graciano Ferreira Rodrigues também de 21 anos – falecido durante uma perseguição policial - realizaram uma onda de assaltos em Fernandópolis antes de fugirem para a cidade de Nova Xavantina no Mato Grosso. 
A dupla que aterrorizou cidadãos e comerciantes de Fernandópolis resolveu agir na cidade de Nova Xavantina onde acabaram sendo capturados pela polícia. 

Um dia depois, Julio Cesar rendeu um agente policial e conseguiu fugir da prisão, sendo recapturado posteriormente junto com o primo. >>>


 

 

Morte durante perseguição

 

Julio Cesar Graciano Ferreira Rodrigues, considerado o mentor dos assaltos sofreu um AVC - Acidente Vascular Cerebral – durante sua fuga da delegacia onde rendeu e agrediu um dos agentes da policia de Nova Xavantina. 

Policiais da cidade então, empreenderam uma busca pelo acusado e durante uma perseguição perceberam que o criminoso havia caído ao solo, enquanto seu primo e comparsa tentava escapar. 

Os agentes perceberam o mal estar de Julio Cesar e até tentaram prestar socorro, fazendo as manobras de ressucitação porém sem sucesso. Julio Cesar morreu antes de chegar ao hospital. Seu primo Eduardo acabou capturado.

 

Onda de terror

 

Quatro assaltos a mão armada e uma tentativa foram registradas no final de semana em que a dupla atuou em Fernandópolis. 

De acordo com as vitimas, Julio Cesar e Eduardo estavam armados renderam funcionários e clientes de uma Farmácia no centro de Fernandópolis. Um deles com uma arma de fogo em punho levou o grupo até o banheiro da empresa e todos foram obrigados a deitar no chão. O outro, com uma faca na mão, obrigou a funcionária a abrir o caixa e entregar cerca de R$ 1,5 mil e dinheiro e moedas. Para amedrontar os reféns, o bandido disparou contra a parede interna do estabelecimento. Usando capacetes a dupla usou uma moto para se evadir do local. 

Outros três assaltos foram registrados no decorrer do fim de semana com as mesmas características: Dois rapazes em uma moto preta sem placas rederam funcionários de um Hotel no bairro Jardim Santa Rita e levaram o dinheiro do caixa.A terceira abordagem aconteceu na Praça da Matriz, onde uma mulher recém operada do joelho que andava com auxílio de um “apoiador” acabou agredida por um individuo de moto e acabou se ferindo na tentativa de levarem sua bolsa. 
Ainda no mesmo dia por volta das 22h, os mesmos bandidos renderam sete pessoas que encerravam o expediente de trabalho um bar no Jardim Ipanema, periferia da cidade. 

As vítimas foram ameaçadas com um revolver enquanto eram amarradas e jogadas no chão da lanchonete que fica às margens da rodovia Euclides da Cunha. Os assaltantes levaram mais de R$ 3 mil em dinheiro, além de carteiras, cartões telefônicos e de créditos, bolsas e até jóias.

 

As vitimas participaram do reconhecimento

 

Segundo relato das vitimas que se apresentaram para o reconhecimento do acusado, a dupla agia com requintes de violência na tentativa de intimidarem as vitimas. Socos e chutes eram desferidos contra as vitimas indiscriminadamente, assim como agressões verbais e intimidação através da arma de fogo que portavam e do fio de uma faca. 

Ainda segundo informações das vitimas os bandidos diziam que a dupla teria mencionado fazer parte de uma família de criminosos que acabou de se mudar para Fernandópolis e o número de assaltos iria aumentar. “Nós viemos tocar o terror em Fernandópolis” repetia um deles durante os crimes. 

Há registros ainda de um homem que foi abordado enquanto saia do caixa 24h do Banco Caixa Econômica Federal, mas nada foi levado.

 

Eduardo Marques Ferreira 21 anos deve responder por crimes em três estados. ele é natural de Indiaporã e segue detido na região. 

 

Escrito por www.regiaonoroeste.com   

 

 
 
 
 
 
                                     Eduardo Marques Ferreira 21 anos deve responder por crimes em três estados. ele é natural de Indiaporã e segue detido na região