01/10/2015 - Esposa faz apelo e diz que família vive "dias de desespero"

01/10/2015 - Esposa faz apelo e diz que família vive "dias de desespero"

A esposa de Douglas Wilson Ramos, 28 anos - levado por suspeitos após um assalto à sua empresa, em Cuiabá -, Shirlene Gomes, contou que a família tem vivido "dias de desespero" desde que ele desapareceu, há seis dias.

 

“Estamos desesperados porque ainda não temos nenhuma pista sobre o desaparecimento do meu marido. Não há nada, nenhuma notícia”, lamentou.

 

O empresário desapareceu após ser levado por três assaltantes, durante um assalto à sua loja, a Tarumã Cimentos, localizada na Avenida Arquimedes Pereira Lima (Estrada do Moinho), em Cuiabá.

 

Shirlene Gomes fez um apelo para que os bandidos liberem seu marido (leia abaixo).

 

A Polícia Civil segue realizando buscas, porém, ainda não possui novidades a respeito do caso.

Ao MidiaNews, a contadora relatou que o empresário possui três filhos, dos quais somente o mais novo, de dois anos, é fruto da relação dele com Shirlene. Segundo ela, o filho chora todas as noites, desde que o pai desapareceu.

“O meu filho não tem dormido à noite, porque dormia sempre com o pai. Os pais dele também estão desesperados, não comem nem dormem desde que ele sumiu. É muito desesperador ficar sem notícias”, disse.

 

Shirlene afirmou que o marido nunca teve relação com ações ilegais e, por isso, não consegue imaginar o motivo do crime.

 

“Não sei dizer a motivação do crime, pois meu marido não tinha inimigos. Ele frequentava a igreja, era correto. Não acredito que o motivo seja por dinheiro, porque não pediram nenhum resgate”, afirmou.

 

Sem notícias

 

Segundo a esposa de Douglas, os familiares do empresário estão buscando informações sobre o paradeiro do desaparecido e, inclusive, mandaram fazer camisetas com a imagem do marido.

 

Desde a data do crime, conforme Shirlene, nenhuma novidade sobre o caso foi repassada pela Polícia Civil à família.

 

Segundo ela, nem mesmo a BMW X1 branca do empresário, que foi usada pelos bandidos durante a fuga, foi encontrada.

 

 “O carro dele não tinha rastreador nem seguro, o celular dele está desligado. Só Deus sabe o que aconteceu”, disse.

Shirlene Gomes

Apelo

 

 A esposa de Douglas pede que, caso o crime tenha sido motivado em razão do alto valor do veículo, os homens libertem o marido após conseguirem realizar o desmanche do carro.

 

“Se o alvo deles era levar o carro, eu peço que eles levem a BMW e soltem meu marido. Caso queiram passar o carro na fronteira, espero que passem e depois liberem meu esposo”, pediu.

 

A Tarumã Cimentos foi aberta há pouco mais de duas semanas. Desde o desaparecimento do empresário, a loja está fechada e segue sem previsão para ser reaberta.

 

Investigações

 

 O delegado Flávio Stringueta é o responsável pelo caso, que segue na Divisão Anti-Sequestro da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), da Polícia Civil.

 

Ele afirmou que as investigações continuam, mas que, até o momento, não há nenhuma novidade sobre o desaparecimento.

 

Stringueta contou que, por enquanto, o caso não é tratado como sequestro, pelo fato de os homens não terem pedido nenhum tipo de resgate para libertar a vítima.

 

“Por enquanto, aparenta ser o caso de um roubo com restrição de liberdade, pois não foi feito nenhum pedido de resgate à família”, disse.

 

Stringueta afirmou que nenhuma possibilidade está sendo descartada durante a investigação.

 

“Estamos trabalhando com todas as hipóteses, durante a investigação. Nada pode ser descartado", disse.

Flávio Stringueta

Delegado Flávio Stringueta: caso não é tratado como sequestro, mas nenhuma hipótese foi descartada

 

Informações

 

Um dos amigos do empresário, João Luiz, solicitou que informações sobre Douglas sejam repassadas à Polícia Civil.

 

“A família do Douglas está desesperada para conseguir novas informações sobre onde ele está. Se alguém tiver informações, denuncie à polícia”, disse.

 

 João Luiz relatou que a distribuidora de cimentos do amigo nunca havia sido alvo de assaltos.

 

“Nunca tinha acontecido nenhum roubo à loja dele, somente em outros estabelecimentos da região”, contou.

 

Apesar de a Polícia Civil afirmar que o caso não se trata de um sequestro, os familiares e amigos discordam da versão.

 

“Acreditamos que ele tenha sido sequestrado porque foi colocado dentro de um carro, após o roubo, e levado pelos assaltantes”, disse.

A família do empresário solicitou para que testemunhas informem a Polícia Civil, caso localizem a  BMW X1, de cor branca, com placas NRH-6996.

 

O caso

 

Douglas Wilson Ramos trabalhava na sua distribuidora de cimentos no momento em que dois homens invadiram a loja, enquanto um terceiro aguardava do lado de fora da empresa

 

A invasão ao local ocorreu por volta das 9h30 de quinta-feira (24).

 

Os suspeitos obrigaram as pessoas presentes no local a ficarem deitadas e as algemaram. Em seguida, roubaram todos os aparelhos celulares e carteiras das vítimas.

 

Conforme o Boletim de Ocorrência, após o roubo, o trio saiu da distribuidora de cimentos levando o empresário.

 

Os bandidos estavam em um Gol Branco e, após o assalto à loja, roubaram também o veículo de Douglas.

 

 

 

Vinícius Lemos 

Da Redação