02/01/2015 - Lutador canaranense de jiu-jitsu fecha o ano com 16 medalhas e um cinturão

02/01/2015 - Lutador canaranense de jiu-jitsu fecha o ano com 16 medalhas e um cinturão
CANARANA - O lutador canaranense de jiu-jitsu, Mario Edson de Oliveira Silva, 37 anos, popular Cowboy, termina o ano de 2014 com a participação em oito campeonatos e a conquista de 16 medalhas mais um cinturão. Desse total foram duas medalhas de bronze, 04 medalhas de prata, 10 medalhas de ouro e o cinturão no Panamericano.
 
A grandeza da conquista de Cowboy é ainda maior porque ele não tem a perna esquerda. Em 2004 ele sofre um acidente de moto em Barra do Garças e teve que amputar a perna. O acidente foi no dia 05 de Agosto. A exato quatro meses depois, em 05 de Dezembro, Mario disputou o estadual e ganhou três medalhas.
 
Cowboy luta atualmente na categoria normal e na parajiu-jitsu, que é para atletas com deficiências físicas. Porém, a maior parte das conquistas de Mario é na categoria normal, quando ele enfrenta lutadores sem deficiências. Do total de 16 medalhas, 11 foram na categoria normal, além do cinturão.
 
Em algumas competições outros lutadores de jiu-jitsu de Canarana participaram. No estadual deste ano realizado em Cuiabá a equipe de Canarana contou com 12 atletas e levou o primeiro lugar como equipe mais disciplinada da competição.
 
Mario treina jiu-jitsu há 20 anos e mora em Canarana há 09 anos. Aqui, ele tem a G2 Transportes, a G2 Equipamentos, a G2 Paintball, e neste ano abriu um Centro de Treinamentos de jiu-jitsu, tendo já 35 alunos na academia, que funciona na antiga Casa dos Freios.
 
Sobre os resultados no ano, Cowboy falou: “Foi um resultado muito bom. A tendência no ano que vem é disputar mais campeonatos, inclusive internacionais, na Argentina, Estados Unidos e Abu Dhabi”, informou.
 
Cowboy agradece aos seus patrocinadores: Bayer, Rural Canarana, Prefeitura (pref. Evaldo, secs. Jorge e Enio), Clínica da Família, Disvale, Fazenda Vale Verde, Fazenda Vera Cruz do Xingu, Resende Transportes, Agrocanarana, Aventureiros do Xingu, Excombate e Jornal O Pioneiro.
 
 
 
 

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário