02/02/2012 - Azeite de oliva ou óleo de girassol são a melhor opção para coração saudável, diz estudo

 

Um estudo da Universidade Autônoma de Madri, na Espanha, não achou correlação entre o consumo de alimentos fritos no azeite de oliva ou óleo de girassol – óleos ricos em gordura não-saturada – e problemas cardíacos ou mortes prematuras.

Em artigo publicado no periódico online British Medical Journal (BMJ), os pesquisadores alertam, entretanto, que as conclusões não se aplicam a outros óleos, como os de origem animal.
 
O estudo envolveu quase 41 mil adultos residentes em cinco diferentes regiões da Espanha. Eles mantinham hábitos alimentares variados e foram acompanhados ao longo de 11 anos.
 
Os participantes forneceram detalhes sobre sua dieta em uma semana típica, incluindo a forma como preparavam e cozinhavam os alimentos.
No início da pesquisa, nenhum deles tinha sinais de doença cardíaca. Ao fim do período, ocorreram mais de 600 incidentes relacionados a problemas cardíacos e mais de 1,1mortes.
 
Quando os pesquisadores analisaram os detalhes dos incidentes, não encontraram qualquer ligação destes com o consumo de alimentos fritos, e isso, segundo os especialistas, se deve ao tipo de óleo usado na fritura, no caso azeite e óleo de girassol.
 
“Em um país do Mediterrâneo, onde o azeite de oliva e o óleo de girassol são as gorduras mais comumente usadas para fritar, e onde grandes quantidades de alimentos fritos são consumidas tanto fora como dentro de casa, não foi observada associação entre o consumo de frituras e do risco de doença cardíaca coronariana ou morte”, dizem os autores.
 
Em um editorial, o professor Michael Leitzmann, da Universidade de Regensburg, na Alemanha, diz que o estudo extrapola o mito de que “as frituras são ruins para o coração”, mas sublinha que isto não significa que comer frequentemente alimentos fritos dias não trará consequências para a saúde. “Os aspectos específicos do que é frito são relevantes, assim como o tipo de óleo usado”, finaliza.
 
Portal O Que eu Tenho?

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário