02/02/2015 - Janaína Riva critica Taques por "interferência" na Assembleia

A deputada estadual diplomada Janaína Riva (PSD) criticou o governador Pedro Taques (PDT) por uma suposta interferência na formação das chapas que disputam a próxima Mesa Diretora da Assembleia Legislativa.

Segundo ela, inicialmente, o grupo de parlamentares da oposição estava “coeso”, com a chapa de Guilherme Maluf (PSDB) e Mauro Savi (PR), candidatos à presidência e  à primeira secretaria, respectivamente.

No entanto, Janaína afirma que após a interferência direta de Taques, Maluf voltou ao chamado “G 11” e formou chapa com o deputado Ondanir Bortolini, o Nininho (PR).

“A oposição estava coesa com o Guilherme, até o momento em que surgiu a interferência do governador Pedro Taques no processo. A Assembleia precisa de autonomia. Claro, o Governo é importante, mas essas conversas com o governador poderiam ocorrer depois da eleição. A escolha da Mesa tem que ser interna e ninguém de fora pode interferir de uma tal forma que escolha quem são os candidatos”, disse.

Para Janaína, a desistência de Maluf na chapa da oposição, mesmo após um acordo interno que contou com a assinatura de ao menos 14 parlamentares, prejudica um eventual mandato do tucano.

“O grupo vê a saída do Guilherme como uma falta de comprometimento com as pessoas que acreditaram nele. Até porque, se se parar para analisar, ele deixou parlamentares que já estão em desvantagem em relação aos situacionistas. Então, é lógico que os deputados se sentiram decepcionados com a atitude”, afirmou.

“Tentamos fazer com que ele voltasse atrás, tentamos falar com ele, pedir que desse a oportunidade aos oito de escolher um nome ou participar de alguma forma, mas ele sequer compareceu à reunião que marcamos. Então, não tem como ser vista com bons olhos uma atitude dessas”, disse.

Para Janaína, todo a polêmica em torno da Mesa Diretora poderia ter sido resolvida, caso os parlamentares de oposição e situação entrassem em um acordo e cada um indicasse ao menos um nome.

“Seria muito mais fácil se, desde o princípio, a situação escolhesse o presidente e a oposição, o primeiro secretário ou ao contrário. Era tão simples de se resolver, mas se mostrou difícil devido a essas interferências que tivemos de fora”, afirmou.

Chapa com Zeca

De acordo com a deputada do PSD, o grupo tentou formar uma nova chapa, sob a liderança do deputado Zeca Viana (PDT).

O deputado é presidente do partido ao qual Taques faz parte.

“Essa questão de dar sua palavra e depois voltar atrás fez com que surgisse a candidatura do Zeca Viana, que inclusive foi solidário com aqueles que foram deixados para trás. Mesmo sendo do mesmo partido que o Taques e podendo apenas deixar o grupo para trás, como o Maluf fez, preferiu ficar conosco”, afirmou.

Janaía não quis revelar o número de deputados que estariam apoiando essa possível nova chapa. No entanto, afirmou que o grupo já conversou com o deputado Emanuel Pinheiro (PR) e outros em busca de angariar novos apoios.

“Ainda não temos definição dos nomes, não tínhamos nem o candidato a presidente, depois se aventou a possibilidade de ser o Zeca até por conta desse posicionamento. Porque ele quer a mesma coisa que nós, autonomia e uma eleição interna”, disse.

“Mas. não adianta se falar em lista de assinaturas. Essa questão de lista já ficou para trás. Uma vez que teve uma chapa formada, as pessoas assinaram, mas o compromisso foi quebrado. Mas acredito que, hoje, tenhamos cerca de 14 deputados indefinidos”, completou.

Interferência

Esta não é a primeira vez que Janaína critica Taques por supostamente interferir na Assembleia.

Entre as possíveis interferências de Taques apontadas estava a própria a eleição da Mesa e seu posicionamento contra a indicação da ex-secretária de Cultura, Janete Riva (PSD), mãe de Janaína, para o Tribunal de Contas do Estado (TCE).

 

 

Douglas Trielli 

Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário