02/03/2011 12h:10 Aripuanã decreta calamidade pública

Prefeito de Aripuanã, a 1.080 km de Cuiabá, Carlos Torremocha, acaba de anunciar calamidade pública no município por conta dos prejuízos que vem sofrendo com aas chuvas.
 
O setor madeireiro e os produtores rurais que são as principais fontes econômicas do município estão com dificuldade de escoar sua produção. Estradas completamente destruídas com buracos e atoleiros, pontes caídas ou submersas em determinadas áreas que não oferece as mínimas condições de trafegabilidade.
 
Hoje a Vila de Conselvan encontra-se isolada divido o grande volume de águas do Rio Branco; moradores arriscam a vida na travessia em busca de recursos. Segundo dona Marlene da Silva “isto é caso mesmo de calamidade publica, pois estamos sem energia elétrica. Agora imagine se alguém ficar doente, o que vamos fazer para transportar essa pessoa até o hospital municipal”.
 
De acordo com informações do secretario de agricultura José de Oliveira, os produtores mais prejudicados é de Conselvan, pois os caminhões que fazem o transporte estão ilhados, não conseguem atravessar com a carga de leite, os produtores do projeto Lontra vivem a mesma situação. O Laticínio de Juruena esta deixando de recolher mais de 12mil litros de leite por causa da MT- 208 que se encontra em intrafegável. Alguns produtores estão dando o leite às criações e uma parte produzindo queijos para não perderem toda a demanda.
As chuvas também afetaram o transporte escolar e crianças estão sem aulas. A secretaria de Educação interrompeu o uso dos ônibus na área rural. “É perigoso, não vamos arrisca a passar nos atoleiros, as estradas estão muito escorregadias, temos que manter a segurança dos alunos”, frisa a secretaria Rogéria Merino de Macêdo. (com Top News)
 
Com Rodrigo Penteado e Cleverson Veronese