02/03/2012 - Instituições se unem na luta contra a violência contra a mulher

Uma cerimônia, realizada na manhã desta quinta-feira (1º) no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), deu início à segunda edição do “Março Sempre Mulher”.

O evento, em homenagem ao mês das mulheres, é desenvolvido pela Superintendência Estadual de Políticas para Mulheres de Mato Grosso e pelo Conselho Estadual dos Direitos da Mulher e se estende ao longo de todo o mês de março em todos os municípios do Estado.

A vasta programação é composta de palestras, mesas-redondas, cursos, caminhadas e outras atividades, desenvolvidas em parceria com os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, Defensoria Pública, Ministério Público, OAB e Associação das Primeiras Damas dos Municípios de Mato Grosso.

A superintendente de Políticas para Mulheres, Ana Emília Sotero, disse esperar grande participação da população nas atividades, principalmente na luta contra a violência de gênero.

O Defensor Público Marcos Rondon representou a instituição na abertura do evento e destacou que a Defensoria Pública vai participar de duas formas, através do Núcleo de Execução Penal e da Rede Permanente de Atenção ao Recluso e ao Egresso (Repare).

Uma nova plataforma digital de atendimento ao detento, em sistema de rede social, que vai trazer inúmeros benefícios aos cidadãos que cumprem penas, foi apresentada pelo Dr. Marcos Rondon.

“Esta plataforma já vai operar daqui a algum tempo nos presídios, e na Penitenciária Ana Maria do Couto May, que é onde apresenta o maior número de requisitos necessários, o protótipo vai ser lançado, privilegiando exatamente a questão de gênero, pelo fato de lá estarem presas as mulheres”, esclareceu o Defensor Público.

“Esse evento é resultado da união de diversas instituições que se articulam para oferecer serviços diferenciados e especiais para mulheres. O evento no mês de março é para chamar a atenção da sociedade para a questão da discriminação, desigualdade social, preconceitos e muitas outras situações que as mulheres são submetidas diariamente” explicou a Defensora Pública Tânia Regina de Matos, que também é a vice-presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher.

 

Redação 24 Horas News

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário