02/04/2011 - 10h:11 Taques quer democracia dialógica com população em debates

O senador e ex-procurador da República Pedro Taques (PDT) criticou a forma como o Parlamento lida com a população. Para ele, a reforma política deveria fortalecer os mecanismo de participação direta dos cidadãos, o que não ocorre. “É o que se denomina de democracia dialógica, ou seja, o diálogo entre a sociedade e o Estado, através do Congresso Nacional”, explicou, durante entrevista a Agência Senado.

   Conforme o pedetista, ele pretende alterar o artigo 61 da Constituição Federal para mudar essa situação. A ideia é oferecer a oportunidade para que a iniciativa popular apresente projetos de lei. Neste sentido, segundo ele, a internet seria uma das ferramentas de acesso ao Congresso.

   Ele defende ainda que as propostas concernentes a reforma política precisam ser debatidas com a sociedade, para permitir que todos interajam com as mudanças e possam entender o que isso significa para o país. “Estamos defendendo uma maior democratização do processo político. Essa reforma precisa ser aprovada pelo cidadão, que é o principal destinatário das mudanças”, afirmou.

  Taques pondera, entretanto, que o colegiado não teve tempo suficiente para abrir as discussões, tendo apenas 45 dias para concluir o processo, sem que pudessem abrir as audiências públicas. “Mesmo assim, estamos realizando debates no Estado. Serão oito audiências, das quais já realizamos uma. Também vamos falar com os vereadores do Estado e queremos trazer o cidadão para o debate”, garante.

 

Ana Adélia Jácomo