02/05/2015 - Mais 300 policiais civis passam a atuar em MT a partir de maio

A partir do mês de maio, mais 300 investigadores escrivães passam a fazer parte da Polícia Civil. O Governo do Estado informou que a partir do dia 5 de maio, 150 novos escrivães e  no dia 8, outros 150 investigadores já estarão em atividade. O efetivo da Polícia Civil, a exemplo de outras corporações, enfrenta problemas quanto a demanda de servidores. Para atuar em todo Estado são menos de três investigadores. Já o número de escrivães não chega a mil.

Os policiais terminaram a fase complementar do 12º Curso de Formação Técnico Profissional, na Academia da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso, possibilitando que uma segunda turma de 300 alunos inicie o curso de formação para investigadores de polícia e assim comecem a trabalhar nas delegacias de polícia em julho deste ano.

O diretor da Academia da Polícia Civil, Clocy Hugueney Lopes de Oliveira, destacou o valor do trabalho do escrivão de polícia para à sociedade. “O escrivão de polícia desenvolve um trabalho de extrema importância, na medida que é o responsável por auxiliar as autoridades policiais, na formalização dos procedimentos, de todo e qualquer documento originário das unidades policiais que compõem o processo que vai ao Judiciário, para apuração das infrações penais”, explicou.

A escrivã Michele Pedroso recebeu sua portaria para regional de Tangará da Serra e tem até o dia 5 de maio para se apresentar na unidade, de onde será designada para trabalhar em uma das delegacias da região. “Sou natural do Paraná e estou há seis anos em Mato Grosso e com muito orgulho agora na Polícia Civil. Pretendo me empenhar para defender a sociedade e ajudar no combate à criminalidade”, disse.

Os novos escrivães e investigadores são do concurso de 2013, para preenchimento de 600 vagas, sendo 450 investigadores e 150 escrivães. Os candidatos se inscreveram dentro de vagas ofertadas por polos regionais, disponibilizada de acordo com estudo que aponta as regiões com maior carência de efetivo, principalmente no Norte e Nordeste de Mato Grosso, e em atendimento a reivindicações da população em relação ao efetivo da Segurança Pública em Mato Grosso.

O diretor do interior, Wilson Leite, informou que para o interior irão 148 escrivães que vão dar um "gás" no trabalho cartorário das delegacias de polícia. “O Governo de Mato Grosso contemplou para a sociedade esses escrivães e numa segunda etapa os investigadores que somam 587 novos policiais no interior, com o objetivo de dinamizar o trabalho investigativo e operações policiais para trazer mais tranquilidade à população”, destacou.

O delegado geral adjunto, em exercício, Rogério Atílio Modelli, também destacou a importância dos novos policiais, em um momento tão positivo para a Polícia Civil e para Segurança de Mato Grosso. “A missão dos senhores é muito importante, pois a sociedade precisa demais de vocês e nós da Polícia Civil também”, declarou.

 

 

Olhar Direto
Patrícia Neves