02/07/2015 - Maluf diz que apoia investigação, mas repudia "exagero”

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Guilherme Maluf (PSDB), afirmou, em discurso no Plenário, nesta quarta-feira (1º), que apoia as investigações feitas pelo Ministério Público Estadual, por meio do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), mas repudia "exageros". 

O deputado se referia à Operação "Ventríloquo", desencadeada pelo Gaeco na manhã de hoje e que resultou na prisão do ex-deputado José Riva (PSD) e no cumprimento de mandados de busca e apreensão no Poder Legislativo

“Há necessidade de entender que nós repudiamos qualquer tipo de exagero ou de ação fora da legalidade. Esse é um Poder constituído, que tem suas prerrogativas legais e nós vamos nos pautar pela legalidade”, afirmou o tucano. 

Durante sua fala, no entanto, o presidente não detalhou qual a medida ou atitude dos agentes do Gaeco ele considerou excessiva. 

Apesar da crítica, Maluf disse que a Mesa Diretora do Legislativo defende as investigações conduzidas pelo MPE. 

“Nos último quatro ou cinco meses, sempre colaboramos com o Ministério Público. Não vamos deixar de colaborar e entendemos a necessidade de que haja transparência nas informações. Entendemos a necessidade de todo o tipo de investigação”, disse. 

“Mas, obviamente, isso tem que ocorrer com critérios, dentro da legalidade. E, por isso, faço uso dessa tribuna para referendar essa minha posição”, completou o deputado. 

Ainda em sua fala, o presidente disse que a Assembleia está “de portas abertas” para o Ministério Público e não tem nada a esconder. 

“Estamos de portas abertas, vamos colaborar com qualquer tipo de investigação. Vamos dar toda a transparência necessária aos atos. Se alguns dos senhores deputados quiser fazer o acompanhamento dessa ação que foi realizada hoje aqui na AL, os convido para verificação dos documentos. Não há restrição a nenhum tipo de informação nesse Parlamento”, afirmou Maluf. 

Busca e apreensão 

O mandado de busca e apreensão, cumprido na Assembleia Legislativa, na manhã de hoje, foi expedido pela juíza Selma Rosane, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, para ser cumprido no gabinete do ex-secretário de Finanças, Luiz Márcio Bastos Pommot. 

No local, de acordo com assessoria de imprensa da AL, foram apreendidos dois computadores, além de livros atas. 

Os agentes chegaram ao Legislativo por volta das 7 horas desta quarta-feira e deixaram o local pouco depois das 8h30.

Ainda de acordo com a Assembleia, membros da Procuradoria Geral da Casa acompanharam o cumprimento do mandado. 

A instituição alegou, contudo, não ter sido informada sobre o teor da investigação, em razão do segredo de Justiça. 

 

 

Camila Ribeiro 
Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário