02/08/2014 - Quadrilha que usava uniforme da empresa 'Oi' praticou mais de 20 roubos em VG, dois estão presos

Mais de 20 assaltos praticados por bandidos que se passavam por funcionários da empresa de telefonia "Oi" são investigados pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), em Várzea Grande. Na manhã desta sexta-feira (01.08), o funcionário da "Oi", com carteira registrada, Mario Jorge Gomes dos Santos, 25 anos, foi preso em flagrante no Residencial Julio Domingos de Campos, e seu comparsa Washington Calixto de Lima, 22, no bairro Planalto Ipiranga, ambos os bairros em Várzea Grande.


Os assaltos na modalidade iniciaram há cerca de 3 meses, mesmo período que o suspeito Mário estaria trabalhando na empresa. 

Os dois, na companhia de um terceiro integrante identificado pelo nome de Alexandre Fernandes da Silva, "Bumbum", disfarçados de funcionários da empresa chegavam nas casas e com a "desculpa" de verificar a linha telefônica entravam nas residências, de onde promoviam os roubos de eletroeletrônicos, veículos e objetos de valor.

Além dos uniformes, a quadrilha também usava um veículo Gol branco, novo, semelhante ao usado por técnico da empresa de telefonia para serviços de instalação e reparos de telefone em residências de clientes. O funcionário da Oi ficava no carro enquanto que os dois cúmplices acionavam os moradores da casa, que quando iam atender eram abordados com emprego de ameaças, segundo relatos de algumas vítimas.    

"Eram ações rápidas. Eles entravam, ficavam alguns minutos, depois de colocarem as coisas no carro iam embora. Depois guardavam os produtos em outro local para dificultar a prisão", completou o delegado da Derf, Wagner Bassi.   

O delegado informou que na quinta-feira (31.07)  o trio roubou uma caminhonete S-10, na cidade. O veículo foi recuperado com os dois assaltantes presos em flagrante e também apreendidos os uniformes da empresa, o veículo que usavam nos roubos, além de televisores, notebooks, tablet, celulares e outros. Os produtos estavam escondidos em uma casa alugada, próxima ao Residencial Júlio Domingos de Campos, em Várzea Grande.

O delegado Wagner Bassi informou que todos serão interrogados e indiciados por roubo e associação criminosa. "Vamos conversar com cada uma das vítimas, pois muitas relatavam que eram funcionários da Oi, nos assaltos sofridos", finalizou o delegado.

Durante a prisão de Washington Calixto de Lima, os policiais encontraram um pé de maconha plantado no quintal.

 

Escrito por assessoria

 

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário