02/09/2011 - Índia grávida ferida em incêndio deixa hospital em MT e vai à Casa de Apoio

Metade da aldeia Enawenê Nawê ficou destruída e deixou 300 desabrigados.
Com o incêndio, outros quatro indígenas também ficaram feridos.

A índia gestante que ficou ferida em um incêndio na aldeia Enawenê Nawê deixou o hospital e foi transferida para a Casa de Apoio da Saúde Indígena em Brasnorte, a 580 quilômetros de Cuiabá. A aldeia que fica em Juína, a 737 quilômetros da capital, foi atingida por num incêndio, na tarde de domingo (29), e a gestante de cinco meses Oloriwalã Enawenê Nawê e outros quatro indígenas ficaram feridos. No entanto, as outras vítimas não chegaram a ficar internadas.

A coordenadora operacional da Ong Operação Amazônia Nativa (Opan) e Fundação Nacional da Saúde (Funasa), Cleacir Alencar Sá, disse ao G1 que das 15 casas na aldeia, nove ficaram destruídas pelo fogo e dos 600 indígenas que vivem no local, mais de 300 estão desabrigados. “Eles perderam tudo. Redes, ferramentas, alimentos, objetos”, contou.

A índia Oloriwalã Enawenê Nawê foi encaminhada ao Hospital Municipal de Brasnorte no dia do acidente. Ela está na Casa de Apoio da Saúde Indígena em observação médica.

“As queimaduras foram de 1º e 2º graus e atingiu os braços e pernas, mas não foram extensas. Ela vai permanecer aqui [Casa de Apoio] sendo cuidada por uma equipe médica por precaução, já que está um pouco assustada e trata-se de uma gestante”, disse a coordenadora ao G1.

Conforme informações da Opan, o incêndio começou quando uma índia queimava insetos no local. Acidentalmente o fogo teria se alastrado e em meia hora metade da aldeia foi destruída, já que as casas são feitas de palha de buriti, um material altamente inflamável.

Uma equipe da Fundação Nacional do Índio (Funai) de Juína está na aldeia Enawenê Nawê para auxiliar os indígenas na reconstrução das casas.

 

Do G1 MT

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário

OS COMENTÁRIOS É DE TOTAL RESPONSABILIDADE DOS INTERNAUTAS QUE O INSERIR. O REPÓRTER DO ARAGUAIA ONLINE RESERVA-SE O DIREITO DE NÃO PUBLICAR MENSAGENS COM PALAVRAS DE BAIXO CALÃO, PUBLICIDADE, CALÚNIA, INJÚRIA, DIFAMAÇÃO OU QUALQUER CONDUTA QUE POSSA SER CONSIDERADA CRIMINOSA. OS COMENTÁRIOS QUE CONTER NOS ITENS CITADOS ACIMA SERÃO EXCLUÍDOS. TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO ARQUIVADOS ATRAVÉS DO IP E SERVIRÃO DE PROVAS CONTRA AQUELE QUE USAR ESTE MEIO DE COMUNICAÇÃO.