02/09/2013 - Para evitar colapso, Baiano e Gaspar apelam por socorro

O deputado Baiano Filho (PMDB) e o prefeito de Confresa Gaspar Lazzari literalmente apresentaram esta semana ao secretário de Estado de Saúde (SES) Mauri Rodrigues, pedido de socorro à saúde do município. Estrangulado pela falta de recursos, a situação se agrava a cada dia com o acumulo de dívidas relacionadas à manutenção do Hospital Municipal. O mais alarmante entre os números apresentados por Gaspar é o custeio de medicamentos, que acumula uma divida entre os fornecedores de mais de R$ 2 milhões. O prefeito esclareceu que boa parte da divida se arrasta desde 2009, gerando descrédito entre os fornecedores que já ameaçam romper o fornecimento dos remédios.    

 

Além de cobrar o pagamento dos repasses de 2012 devidos pelo Governo do Estado aos municípios, Gaspar enfatizou a necessidade de uma base de cálculos mais equilibrada, garantindo maior respaldo aos municípios.  

 

Outro tema que já vem sendo discutido com a SES é a necessidade urgente da formalização de um pacto de atendimentos entre os governos de Mato Grosso e Tocantins. Conforme defende Baiano Filho, a amplitude territorial do Norte Araguaia naturalmente impulsiona o encaminhamento dos pacientes para a unidade hospitalar de Palmas. Os números são simples. Um paciente por terra percorre cerca de 1.200km até a capital Cuiabá em busca de atendimento e especialidades. Já o caminho para Palmas leva cerca de 550km, com apenas 89km sem asfalto. A lógica e a logística são evidentemente favoráveis ao atendimento em Palmas.

 

O calculo por via aérea também impele para o atendimento na capital tocantinense. Enquanto uma UTI aérea de Confresa a Cuiabá leva duas horas de voo ao custo médio de R$ 7 mil, para Palmas o trajeto é percorrido em 40 minutos ao valor de R$ 3,5 mil, representando inclusive economia para Mato Grosso.

 

Para o secretário Mauri, simpatizante da ideia, a aprovação do pacto depende de avaliação do conselho, e claro, da concordância de Tocantins. Mauri sem comprometeu em iniciar as conversas com a secretaria de saúde tocantinense.

 

Quanto ao custeio dos medicamentos e a regularização dos repasses, ficou definida uma nova reunião entre as equipes técnicas da prefeitura de Confresa e SES para confronto de planilhas e encaminhamento das ações.



Naiara Martins

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário