02/09/2015 - Polícia suspeita que dupla que sumiu no Manso foi assassinada

A Polícia Civil não descarta a possibilidade de que os cunhados Wagner França, 33, e Fábio da Conceição de Campos, 37, tenham sido assassinados. Eles estão desaparecidos há 17 dias, na região do Lago do Manso, em Chapada dos Guimarães, a cerca de 100 km de Cuiabá.

No sábado (29), um casal que testemunhou sobre o desaparecimento dos dois homens foi assassinado na propriedade rural em que moravam. 

O homem e a mulher haviam afirmado, em depoimento, à Polícia, que viram os cunhados antes do desaparecimento e disseram que tinha um terceiro homem no veículo.

A Polícia não descarta a hipótese de que o assassinato do casal foi "queima de arquivo". 

O delegado de Chapada dos Guimarães (67 km ao Norte da Capital), Diego Martiniano, admitiu que as ocorrências podem estar relacionadas.

“Como o casal foi assassinado após testemunhar sobre o caso, não descartamos a possibilidade de os casos estarem relacionados”, afirmou.

Apesar de acreditar na relação entre os crimes, o delegado disse que ainda não é possível afirmar que o desaparecimento de Wagner e Fábio e o assassinato do casal tenham alguma ligação. 

O caso do assassinato das testemunhas está sendo investigado pela delegacia da Polícia Civil de Rosário Oeste (128 km ao Norte de Cuiabá), pois o crime aconteceu em uma região rural próxima ao município. 

As investigações sobre o caso do assassinato estão sendo realizadas em conjunto entre a Polícia Civil de Chapada dos Guimarães e de Rosário Oeste. 

O delegado de Chapada dos Guimarães contou que, diante das dificuldades para solucionar o caso, há grandes chances de os homens terem sido assassinados.

“A probabilidade de eles estarem mortos é muito grande, mas não posso afirmar isso”, explicou.

Uma das possibilidades das investigações era haver outra pessoa com a dupla desaparecida, que estaria no mesmo carro. Porém, essa possibilidade está sendo questionada pelo delegado. 

“A probabilidade de eles estarem mortos é muito grande, mas não posso afirmar isso”, explicou.

Uma das possibilidades das investigações era haver outra pessoa com a dupla desaparecida, que estaria no mesmo carro. Porém, essa possibilidade está sendo questionada pelo delegado. 

“O casal [assassinado] foi quem passou as informações de que havia uma terceira pessoa, que não foi identificada. Por isso, pode ser que esta informação não seja verdadeira”, disse.

As dificuldades para obter informações sobre o desaparecimento dificultam as investigações da Polícia Civil.

“Este é um caso muito complexo, com informações desencontradas e dificuldades de investigação”, disse Diego Martiniano.

Automóvel da dupla

O automóvel em que estava a dupla desaparecida - um Celta - foi encontrado em 15 de julho, com o para-choque quebrado, na zona rural de Chapada dos Guimarães.

“A perícia no carro não encontrou sangue, nem sinais de violência”, contou o delegado.

As poucas informações conseguidas durante as investigações dificultam a conclusão do caso, segundo Martiniano.

“É complicado, porque não posso confirmar que é um caso de homicídio ou latrocínio. A gente ainda não sabe o que aconteceu”, disse.

A Polícia Civil informou que a esposa de Wagner França disse que o homem estava trabalhando com diamantes.

Apesar de ainda não ter confirmação sobre o motivo que levou a dupla à região do Manso, a Polícia Civil descartou a hipótese inicial de que eles tenham ido pescar. 

“A informação que temos é de que o Wagner trabalhava com compras e vendas de automóveis. O Fábio estava acompanhando”, explicou.

A Polícia Civil continua investigando o caso e realizando buscas na região de Chapada dos Guimarães.

Quebra de sigilo telefônico

O sigilo telefônico de Wagner França, o único da dupla que estava com celular, deverá ser quebrado nos próximos dias. 

Segundo o delegado Diego Martiniano, o procedimento auxiliará nas investigações do desaparecimento.

“A quebra do sigilo telefônico é um procedimento demorado, mas já foi solicitado à Justiça. Após a liberação, iremos pedir para que a operadora realize o procedimento”, disse.

As informações sobre as últimas ligações feitas pelo homem deverão ser repassadas até o final da próxima semana.

 

 

Vinícius Lemos 
Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário