02/10/2015 - FARMÁCIA POPULAR NAUFRAGA: Ministério da Saúde confirma fim de descontos de até 90% em medicamentos a partir de janeiro

Está confirmado o corte de recursos que subisidiam a venda de medicamentos com descontos de até 90% nas farmácias. São R$ 25 bilhões a menos para a área social, inclusive a Farmácia Popular.

O corte atinge produtos farmacêuticos com até 90% de desconto. São medicamentos para tratar várias doenças, como osteoporose, Mal de Parkinson, rinite e até fraldas geriátricas. O Ministério da Saúde confirma a informação. Em nota, o Ministério da Saúde informa que a proposta de orçamento para o ano que vem prevê um corte de R$ 578 milhões no programa. Está mantida para o ano que vem a gratuidade para remédios que tratam hipertensão, diabetes e asma. 

 

Um verdadeiro tiro no pé, segundo a Associação Médica Brasileira.  Sem os descontos os tratamentos serão descontinuados, aumentando o custo com internações e sobrecarregando o SUS e os hospitais.

 

O Orçamento ainda será votado no Congresso Nacional e ainda pode ser alterado. Dar e depois tirar certamente custará caro para o governo Dilma Rousseff, que tem a maior rejeição da história.

 

 

 

Jô Navarro

Caldeirão Político

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário