02/10/2015 - Mãe assistia padrasto estuprar filha de 12 anos, diz delegado

A mãe de uma menina de 12 anos, vítima de abusos sexuais praticados pelo padrasto, assistia a filha ser estuprada pelo companheiro dentro de casa, em Várzea Grande.

A informação foi repassada na quarta-feira (30) pela irmã mais nova da vítima, de nove anos, durante depoimento ao delegado Cláudio Álvares, da Delegacia de Defesa da Mulher, Adolescente e Idoso do município.

O caso veio à tona após a vítima relatar os abusos a duas tias, que denunciaram a mãe e o padrasto a Políca.

O casal foi detido na tarde de segunda-feira (28), no bairro Alameda, mas foram liberados depois de prestarem depoimento, uma vez que o último estupro ocorreu na quinta-feira (24) e já havia passado o período de prisão em flagrante.

No depoimento, a irmã da menina disse que chegou a questionar a mãe do porquê que o padrasto fazia aquilo com a irmã.

Segundo a criança, a mãe respondeu que fazia isso "porque amava o rapaz e não queria se separar dele".

“A menina ainda acrescentou que toda vez que o homem abusava da irmã, a mãe assistia na porta do quarto. Ela via todo ato e ainda ficava feliz”, contou Alvarez.

Conforme o delegado, o caso foi repassado à delegada Daniella Maidel, que já abriu um inquérito para investigar o crime.

Ela já ouviu alguns parentes e vizinhos da vítima e deve pedir pela prisão preventiva do casal, segundo Alvarez.

O caso

Segundo a Polícia, os abusos sexuais aconteceriam quase diariamente, desde que a menina tinha nove anos.

À Polícia, a vítima contou que, no último estupro, o padrasto chegou no final de madrugada do serviço e foi até o quarto dela.

“Ele tirou minha roupa, fez tudo o que queria e ainda perguntou se eu gostei”, disse a menina, em depoimento.

Nesse dia, segundo a menina, ela foi lesionada porque tentou reagir.

O Conselho Tutelar foi acionado e a menor deverá ficar em um abrigo para adolescentes vítimas de violência e a mãe pode perder a guarda das duas filhas. 

 

 

Thaiza Assunção / Midia news

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário