03/11/2013 - Dia dos Finados em São Félix do Araguaia deixou cemitérios movimentados

O Dia de Finados é o dia da celebração da vida eterna das pessoas queridas que já faleceram. É o Dia do Amor, porque amar é sentir que o outro não morrerá nunca. É celebrar essa vida eterna que não vai terminar nunca. Pois, a vida cristã é viver em comunhão íntima com Deus, agora e para sempre.

 

O são-felicense que foram visitar os túmulos dos parentes nesse feriado ocorreu tudo tranqüilo e sem complicações no cemitério de São Félix do Araguaia - MT. Várias pessoas passem pelos locais ao longo de todo o dia. 

O dia de todos os santos mais conhecido como dia dos finados foi calmo em São Félix do Araguaia, durante o dia o primeiro cemitério da cidade, onde se tem enterrado muitas pessoas no inicio da fundação de São Félix e o cemitério da Vila Santo Antonio, onde hoje são sepultados os entes queridos de muitas famílias de São Félix compareceram para fazer suas homenagens com rezas e orações e sacrifícios pelos mortos em geral. Devemos rezar por todas as almas, porque não sabemos com certeza quais estão realmente precisando e em condições de receber os méritos impetrados por nossas ações em favor delas.

 

Todos os anos é celebrada a missa na cruz das almas, no coração do cemitério, este ano (2013), não foi diferente 02 de novembro (02/11) às 17 horas foi celebrada a missa pelo Padre Paulo com a presença de fiéis, familiares e amigos. No local, os visitantes acendem velas para os que partiram – há uma tradição que diz que quem não pode visitar seus mortos por alguma razão, pode acender velas para eles na cruz das almas.

 

O Repórter do Araguaia entrevistou um casal de morador de São Félix do Araguaia seu

João Herculano que foi acompanhado da esposa para visitar os túmulos de parentes e fala da importância de perpetuar esta tradição. “É um momento íntimo de cada um, de prestar homenagens as pessoas que fizeram parte de nossas vidas. Temos que viver esta tradição, mostrar o exemplo para os filhos. Vamos rezar e pedir a Deus que eles estejam em um bom lugar", afirma.

 

Desde o século 1º, os cristãos rezam pelos falecidos; costumavam visitar os túmulos dos mártires nas catacumbas para rezar pelos que morreram sem martírio. No século 4º, já encontramos a Memória dos Mortos na celebração da missa. Desde o século 5º, a Igreja dedica um dia por ano para rezar por todos os mortos, pelos quais ninguém rezava e dos quais ninguém se lembrava.

 

 

Vanessa Lima/O Repórter do Araguaia

 

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário