03/01/2012 - Quatro fazendas de Confresa e Vila Rica estão na ”lista suja” por trabalho escravo

 

Mato Grosso é o segundo Estado do país com mais inclusões no cadastro de empregadores flagrados com mão de obra análoga à escravidão, conforme divulgação feita na sexta-feira (30) pelo site Repórter Brasil, que monitora o cadastro desde sua criação, em novembro de 2003. O cadastro é feito pelo Ministério do Trabalho.
 
Na lista com novas empresas exploradores de trabalho escravo, o Pará lidera com 9 nomes. Com oito nomes, Mato Grosso está empatado com Minas Gerais. Nos últimos 8 anos, houve o resgate de 1235 trabalhadores em regime de escravidão em solo mato-grossense.
 
Observando o levantamento desde 2003, são 32 empresas mato-grossenses que exploraram trabalhadores em regime análogo à escravidão.
 
Conforme divulgação do Blog do Sakamoto, reproduzida no site UOL, um dos destaques na atualização da "lista suja" é a inclusão de Fernando Jorge Peralta pela exploração de escravos na Fazenda Peralta, em Rondolândia (1.600 km a Noroeste de Cuiabá).
 
O Grupo Peralta é um conglomerado empresarial poderoso, do qual fazem parte a rede de supermercados Paulistão, a Brasterra Empreendimentos Imobiliários, as concessionárias Estoril Renault/Nissan (em Santos, Guarujá e Praia Grande, no litoral paulista), os shoppings Litoral Plaza Shopping e Mauá Plaza Shopping (cuja construção, na época, envolveu uma denúncia de propina), a Transportadora Peralta (Transper) e a Pro-Per Publicidade e Propaganda, só para citar os principais ramos de atividade do grupo.
 
O flagrante que levou Fernando Jorge à "lista suja" aconteceu em 2010 e envolveu a libertação de 11 trabalhadores de sua fazenda.
 
Políticos e doutores:
 
A relação dos fichas sujas que patrocinam trabalho escravo também incluem médicos, políticos, famílias poderosas e casos de exploração de trabalho infantil e de trabalho escravo urbano.
 
Na mais recente atualização, estão um ex-prefeito, um ex-secretário municipal do Meio Ambiente e dois médicos.
 
O ex-prefeito Edmar Koller Heller foi flagrado em 2010 explorando mão-de-obra escrava em um garimpo na Fazenda Beira-Rio, que fica em Novo Mundo (550 km ao Norte da Capital).
 
Heller foi prefeito de Peixoto de Azevedo (691 km ao Norte) em 2000, pelo extinto PFL (hoje DEM).
 
O político teve o mandato cassado após ser acusado de desvio de recursos públicos, contratação de pessoal especializado sem licitação e contratação ilegal de veículos automotores de auxiliares de confiança.
 
Em 2007, ele se envolveu em outro escândalo político e chegou a ser preso. Como secretário de Administração da prefeita Cleuseli Missassi Heller, sua esposa, ele foi considerado responsável por improbidade administrativa, configurada pelo favorecimento de uma única empresa em processos licitatórios do município. Em 2009, a Terceira Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso manteve a condenação.
 
Os médicos incluídos na relação são José Palmiro Da Silva Filho (CRM 830), flagrado com cinco escravos na Fazenda São Clemente, em Cáceres (225 km a Oeste, e Ovídio Octávio Pamplona Lobato (CRM 3236), flagrado com 30 escravos na Fazenda Tartarugas, em Soure (PA).
 
Punições:
 
A "lista suja" tem sido um dos principais instrumentos no combate a esse crime, através da pressão da opinião pública e da repressão econômica.
 
Após a inclusão do nome do infrator, instituições federais, como o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal, o Banco da Amazônia, o Banco do Nordeste e o BNDES suspendem a contratação de financiamentos e o acesso ao crédito.
 
Bancos privados também estão proibidos de conceder crédito rural aos relacionados na lista.
 
Quem é nela inserido também é submetido a restrições comerciais e outros tipo de bloqueio de negócios por parte das empresas signatárias do Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo - que representam mais de 25% do PIB brasileiro.
 
O nome de uma pessoa física ou jurídica é incluído na relação depois de concluído o processo administrativo referente à fiscalização dos auditores do governo federal e lá permanece por, pelo menos, dois anos.
 
Durante esse período, o empregador deve garantir que regularizou os problemas e quitou suas pendências com o governo e os trabalhadores. Caso contrário, permanece na lista.
 
Em Confresa e Vila Rica, no Norte Araguaia aparecem na lista as fazendas, Fazenda Taiaçu (Vila Rica), Fazenda Mata Azul (Confresa), Fazenda Mata Azul - Vila Três Flechas (Confresa) e Fazenda Califórnia ( Vila Rica )
 
 
 
Confira a relação dos representantes de Mato Grosso na lista:
 
AG Construtora Ltda. ME - Fazenda Toledo, Zona Rural, Tapurah.
 
Alcopan Álcool do Pantanal Ltda - Fazenda Olho D'Água - Estrada Coenge, km 16 - Poconé.
 
Antônio Carlos Françolin - Fazenda Taiaçu - Projeto Beleza Oeste, Vila Rica.
 
Bioauto MT Agroindustrial Ltda. - Fazenda Bioauto, Filial I, Zona Rural, Diamantino.
 
Carla Ezequiela Tiunilia Tavares Diniz Lemos Melo - Fazenda Duas Meninas, Gleba Cinco Estrelas, Antiga Faz. BR-080, Peixoto de Azevedo.
 
Carlos Augusto de Freitas - Fazenda Recreio II, Zona Rural, Estrada Beira do Rio Matrinchã, Nova Bandeirantes.
 
Carlos Newton Vasconcelos Bonfim Junior - Fazenda Brasília, Zona Rural, Alto Garças.
 
Construtora Talaska Ltda - Fazenda Toledo, Rod. MT 010, Km 23, à direita mais 4 km, Tapurah.
 
Edmar Koller Heller - Fazenda Recanto, antiga Fazenda Cinco Estrelas, Zona Rural, Novo Mundo.
 
Fabiano Queiroz - Fazenda Santa Rita de Cássia, Estrada de Nova Bandeirantes, Km 140, Zona Rural, Juara.
 
Fernando Jorge Peralta e Outros - Fazenda Peralta, Estrada do Castanhal, Km 270, Zona Rural, Rondolândia.
 
Florisberto Leal - Fazenda Nossa Senhora Aparecida Rodovia MT - 130, km 150 - Paranatinga.
 
Gilmar Gomes - Fazenda Viviane, Zona Rural, Nortelândia.
 
Isaías Alves Araújo - Fazenda Pontal da Serra, Zona Rural, Alta Floresta.
 
Itamar Ribeiro da Silva - Fazenda Mata Azul - Zona Rural de Confresa.
 
J. L. Zanetti ME - Hotel São Marcos Calçadão Rua Galdino Pimentel, 171, Bairro Centro Norte, Cuiabá.
 
João Carlos Petrucci - Fazenda São Cristovão, Rod. MT 206, 60 Km de Paranaitá, Zona Rural, Paranaíta.
 
José Nilson dos Santos - Auto Guincho Jussara Ltda, Rua Fellinto Muller, Quadra 118, Lote 05, JD Paula II, Várzea Grande.
 
José Palmiro da Silva Filho - Fazenda São Clemente, Rod. Km 174, a 40 km de Cáceres.
 
Luiz Pedro Serafim - Fazenda Flor da Mata, Estrada Procomp, Km 75, Nova Bandeirantes.
 
Manoel Luiz de Lima - Fazenda Rancho Alegre, Rod. MT-343 Porto Estrela a Cáceres, Km 12, Porto Estrela.
 
Masa Construção Civil Ltda ME - Fazenda Toledo, Rod. MT-010, Km 23, Tapurah.
 
Nilton da Cruz - Fazenda Rio da Mata, Gleba São Pedro, Zona Rural, Paranaíta.
 
Novo Norte Agropecuária Ltda. - Fazenda São José de Aragon, Km 25, Zona Rural, Nova Monte Verde.
 
Osmar Richter - Fazenda Araguaia, 1ª Vicinal Sul, Gleba Paranaíta, Estrada Assentamento São Pedro, Comunidade Guaiaca.
 
Samarone de Freitas - Fazenda Beira Rio, Gleba Rio Ferro, Feliz Natal.
 
Sandra Vilela de Freitas Oliveira - Fazenda Nossa Senhora Aparecida - Estrada Boa Esperança a Santo Antônio, Km 32 - Nova Ubiratã.
 
Sebastião Neves de Almeida - Fazenda 05 Estrelas - Gleba Nhandú, Estrada do Aragão, 12 Km de Mundo Novo - Novo Mundo.
 
Sílvio Zulli - Fazenda Olho D' Água - Estrada Coenge, Km 16 - Zona Rural de Poconé.
 
Transcarmo Transporte de Combustíveis Ltda. - 80 Fazenda Mata Azul - Vila Três Flechas, Confresa.
 
Valdivino da Rocha - Fazenda Califórnia, Estrada Vila RicaSanta Teresinha, mais 20 km, Zona Rural, Vila Rica.
 
Valtenir João Rigon - Fazenda São Lucas, Estrada da Amazônia, Km 43, Zona Rural, Rondolândia. 
 
 
 
Fonte: RAFAEL COSTA/ O Repórter do Araguaia

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário