03/01/2015 - Quatro pessoas são atacadas por enxame de abelhas no interior do município de Água Boa

ÁGUA BOA - Quatro pessoas foram atacadas por abelhas nesta quinta-feira, 01. Segundo informações as vítimas estavam no Córrego Água Limpa, próximo à Coinbra, quando foram surpreendidas pelo enxame. Duas das quatro pessoas atacadas seguem internadas no Hospital Regional Paulo Alemão, são elas Cleberson Alves da Silva, 39 anos, e Pedrina Leandro do Nacimento, 36. O quadro clínico deles é estável.

Normalmente as abelhas são operárias laboriosas, que polinizam flores e produzem cêra e mel, vivendo em uma colméia. Mas algumas raças de abelhas são emocionalmente instáveis, e se irritam com qualquer coisa diferente. As abelhas são particularmente perigosas quando estão em enxame, para formar uma nova colônia. Os ânimos estão exaltados pelas disputas entre as possíveis rainhas, e elas atacam simplesmente devido ao clima reinante no enxame. Mesmo quando já estabelecidas em uma colméia, algumas variedades de abelha se irritam facilmente com movimentos próximos à colônia. Evite passar a menos de dez metros de uma colméia, especialmente se esta estiver alvoroçada. Ao notar um enxame enfurecido, não grite, pois as abelhas são atraídas por sons agudos. Evite também gestos bruscos, que podem ser interpretados como uma ameaça. As abelhas, assim como os borrachudos, são atraídas pelas cores escuras. Evite, portanto, usar roupas pretas, vermelhas ou de cores escuras. As abelhas são atraídas por um hormônio excretado no local da picada. Ou seja, ao se tomar uma picada, as outras abelhas do enxame são atraídas para o mesmo local com uma única ordem: PICAR. Ao ser picado, afaste-se imediatamente do local. Ao ser atacado mantenha a calma... Parece besteira, mas as abelhas são atraídas pelo descontrole, provavelmente o hormônio adrenalina. E pessoas que conseguem se manter calmas tomam um número menor de picadas.

o caso de ataque, corra para o mato. Saia da trilha e entre na vegetação densa. Não mantenha uma direção definida, correndo em zigue-zague (abelhas são péssimas em curvas fechadas), e raspando deliberadamente nas folhas e galhos para que estes tirem as abelhas de seu alvo (você) e também para que o sumo das folhas mascare os hormônios liberados pelas abelhas agressoras em sua pele. Com sorte e alguma disposição você conseguirá despistar as agressoras, ainda que se arranhando um pouco no mato... 

Em campo aberto corra, mas também em zigue-zague. Procure por obstáculos e corra na direção deles (mas não em linha reta!). Certamente você levará algumas picadas, mas escapará do grosso do ataque... 

A velha estratégia de mergulhar na água pode funcionar, desde que você seja um bom mergulhador e consiga sair da área crítica por baixo da água. Desnecessário dizer que é melhor tomar umas picadas a se afogar, ou pior, mergulhar num local que não permita a fuga, e cada vez que se respirar tomar mais picadas no rosto, e depois se afogar... 

Uma outra opção é, independente de se estar em campo aberto ou não, se cobrir com algo espesso, como um saco de dormir, cobertor, etc. Lembre-se: A picada da abelha perfura tecidos finos, e como elas são pequenas poderão penetrar por frestas. No caso de conseguir algo adequado para se cobrir, tenha paciência para aguardar a dispersão do enxame, o que pode levar um certo tempo. Não confie muito em se abrigar em barracas, a não ser que dentro da barraca você possua um saco de dormir. Pois, se elas descobrirem um meio de entrar, você ficará em maus lençóis! 

Mesmo que sua decisão seja correr, diminua sua área exposta colocando sua jaqueta, ou o que tiver à mão. Desde que realmente esteja à mão, pois rapidez é fundamental numa situação destas.

Proteja os olhos: uma picada de abelha no globo ocular quase certamente levará à cegueira do olho atacado. Na impossibilidade de correr (em uma montanha, por exemplo) tente curvar-se sobre si mesmo, e proteja os olhos com as mãos. E, resista bravamente. (ai!) 

O ataque de um grande enxame pode ser mortal. A maioria das pessoas resiste em média a mais de 50 picadas, mas há casos de mortes com apenas 3 picadas. Por outro lado, há quem resista a 400 picadas. Como você não conhece o seu limite (e eu nem tenho curiosidade de conhecer o meu), tente evitar ao máximo levar novas picadas. Além do mais, um grande enxame pode facilmente ultrapassar a casa do milhar.

As reações ao veneno são ligadas à sensibilidade prévia da vítima aos componentes deste, e proporcionais ao número de picadas. Umas poucas picadas podem desencadear uma reação alérgica onde a vítima poderá sofrer bronco-espasmo, edema da glote e choque anafilático. Traduzindo: A reação alérgica impedirá a vítima de respirar e esta entrará em estado de choque. Neste caso a presença de um anti-histamínico no estojo de primeiros socorros é fundamental (ex: Polaramine ®), e em último caso poderá se fazer uma traqueostomia (Cuidado!!! Este procedimento somente poderá ser feito por quem realmente saiba como fazer.) 

No caso de muitas picadas, o procedimento é basicamente o mesmo: ministra-se um anti-histamínico à vítima, e esta deve ser removida imediatamente a um hospital para que os procedimentos adequados possam ser tomados. O veneno contém inúmeros elementos, dentre eles anti-coagulantes, elementos que causam insuficiência renal e respiratória e hipertensão arterial. Não é brincadeira! O perigo é potencialmente maior que uma picada de escorpião! 

Se isso serve de consolo: A abelha ao picar perde seu ferrão, a bolsa de veneno e, juntamente com isso, órgãos vitais de seu abdomen. Pouco tempo após a picada, ela morre... Por essa razão leve em seu kit uma pinça para extrair a bolsa de veneno, pois esta poderá inocular mais veneno se for pressionada. A técnica para retirar corretamente o ferrão é, com a pinça, puxar pela base, no local mais próximo à sua pele, sem pressionar a bolsa ou as vísceras.

O mesmo não vale para vespas e marimbondos. Após picar eles estão prontos e dispostos para picar novamente. (Fonte mochileiros.com.br)

 

Escrito por Michele Soares / Grupo Interativa 

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário