03/02/2012 - Abastecer com gasolina é mais vantajoso que etanol em Mato Grosso

 

O mato-grossense que tem recorrido aos postos de combustíveis no estado na hora de abastecer os veículos têm preferido completar os tanques com gasolina ao invés de etanol. É que recorrer a este último não se tornou vantajoso. A proporção dos preços ao se optar pelo etanol em relação ao da gasolina, na média estadual, chegou a 76,31% na unidade federada, conforme evidenciou a Agência Nacional de Petróleo (ANP). A realidade é a mesma do país, onde na última semana a gasolina tornou-se a melhor alternativa para os veículos. Em âmbito geral, no país essa diferença foi de 74% na última semana.
 
De acordo com a ANP, o preço médio da gasolina, até a semana do último dia 28 atingiu R$ 2,997 em Mato Grosso. No entanto, em alguns municípios do estado é possível encontrar patamares maiores, em função do gasto com o frete e distâncias. É o caso de Alta Floresta, a 800 quilômetros de Cuiabá, onde o valor médio do combustível atingiu R$ 3,232, conforme a agência. Já o etanol fechou em R$ 2,287 no estado, mas com margens ainda superiores em outras cidades do estado.
 
O professor da Faculdade de Economia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Adriano Figueiredo, explica que para o uso do etanol ser vantajoso, o litro deve custar menos de 70% do valor da gasolina. Medir o desempenho dos automóveis a partir do abastecimento com etanol ou mesmo gasolina é uma boa opção na hora de colocar na balança o quanto se gastará, salienta o economista.
 
"Quando o preço do álcool está menor de 70% do preço da gasolina é vantajoso. É uma média entre os motores porque depende ainda do rendimento do motor dos carros. Se ele dá muita diferença de queda do desempenho quando você opta pelo álcool, então o preço teria que ser muito menor", declarou Figueiredo, ao G1.
 
A recomendação dos especialistas sempre é pesquisar preços antes de escolher. Mas o economista alerta que em muitos casos, apesar de atrair consumidores, as promoções também devem ser avaliadas. "A pessoa tem que fazer uma comparação, pois a pesquisa sempre é válida. Agora, depende muito de cada veículo. Você tem que pensar também se há postos longe [da cidade] o quanto você gasta [para ir ao estabelecimento e abastecer]. Será que a diferença vale a pena? Tem que colocar na balança", salientou o economista.
 
Produção
As indústrias sucroalcooleiras de Mato Grosso devem destinar nesta safra um volume superior de cana-de-açúcar para fabricação de etanol. Ao todo, 10,5 milhões de toneladas da matéria-prima serão utilizadas, resultado 1,71% maior em relação ao ano safra 2010/2011, quando foram 10,3 milhões de toneladas reservados.
 
Com os mais de 10 milhões de toneladas, as empresas no estado devem produzir 852,4 milhões de litros de etanol, entre anidro e hidratado. Na prática, este número representa um leve recuo na ordem de 0,57% frente ao que o estado produziu um ano antes: 857,3 milhões de toneladas. A projeção é da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e consta no último levantamento da cultura, divulgado em dezembro.
 
O etanol hidratado, que se destina à fabricação do etanol utilizado para os automóveis deve recuar nesta safra 2011/12 em Mato Grosso. Os 523,6 milhões de litros representam 10,21% a menos ante os 583,1 milhões de litros produzidos no ciclo 2010/11. 
 
 Escrito por G1