04/02/2013 - Prejuízos e sofrimento na MT-020: com caminhões no atoleiro, motoristas estão sem comer desde 2ª

A MT 020, considerada um dos principais eixos rodoviários do Estado na região do Araguaia, que liga Paranatinga a Canarana,  está interditada. Motivo: vários caminhões estão atolados em pontos diferentes, impedindo a passagem de outros veículos que, por ventura, pudesse conseguir superar o lamaçal que tomou conta da estrada. A situação é precária e há motoristas que estão há mais de 10 dias esperando para sair da estrada, contabilizando vários atolamentos. 

 
Uma carreta bitrem carregada de uréia e cloreto esta atolada desde segunda-feira, 27,  e o motorista disse que já não sabe mais o que fazer pois não tem nenhum tipo socorro para desatolar o caminhão. Uma das soluções apontadas por ele será a contratação de um guincho para colocar a carga no chão e retornar para a cidade e comunicar o fazendeiro onde o produto seria entregue.
 
Outro motorista também com caminhão atolado desde segunda feira disse que já faz dois dias que nao tomava café e que esta dependendo da ajuda de outros para se alimentar.
 
Um tratorista  confirmou que em média tem desatolado mais de dez caminhões por semana apenas próximo da entrada da fazenda aonde trabalha. 
 
 
Um produtor informou que o preço do frete tem subido cada vez mais e que chega a pagar 50% a mais na tonelada. Ainda assim, encontra dificuldades para achar alguém que deseja realizar o serviço. “São poucos que se aventuram por essa estrada porque sabe o que vai acontecer nesta época do ano” – disse. Ou seja: uma velha situação que se repete ano após ano sem que seja dada uma solução definitiva para o problema. 
 
Outro motorista bastante nervoso e indignado  afirmou que nunca mais retorna á MT 020.  “Essa foi a primeira e a ultima vez que passo por aqui'' - relatou o motorista.
 
E não são apenas os motoristas que padecem com a situação. Como período de férias escolares, muitos condutores acabam levando suas famílias nas viagens neste período do ano. Crianças estão sofrendo com o atoleiro e inospitalidade que a situação causa. As chuvas são constantes. “A gente passa o dia todo parado, atolado, sem ter o que fazer”  - conta. 
 
Nestes locais os celulares não conectam – o que  complica um pouco mais a vida dos caminhoneiros. Alguns se deslocam para a cidade em busca de socorro outros ficam aguardando o tempo melhorar. “É a única forma de avisar a família, que fica preocupada achando que algo de mal aconteceu. E está acontecendo” – disse Bernardo Oliveira, que está na estrada parado a espera de um socorro. 
 
 
Edgard Costa para O Repórter do Araguaia

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário