03/02/2016 - Em Brasília governador apresenta demandas de saúde ao ministro Marcelo Castro; Bermudez solicitou apoio para a implantação de UTIs em Água Boa

03/02/2016 - Em Brasília governador apresenta demandas de saúde ao ministro Marcelo Castro; Bermudez solicitou apoio para a implantação de UTIs em Água Boa

O governador Pedro Taques participou de reunião com o ministro da Saúde, Marcelo Castro, nesta terça-feira (02.02), em Brasília. Taques apresentou a estratégia de Mato Grosso no combate ao mosquito Aedes aegypti e também cobrou melhorias, principalmente para a saúde no interior do estado.

Acompanhado dos secretários Eduardo Bermudez (Saúde) e Marco Marrafon (Planejamento), e do deputado federal Nilson Leitão, o governador destacou a medida adotada pelo Estado que disponibilizou um incentivo financeiro no valor de R$ 800 (dividido em quatro parcelas), a título de bonificação, para cada Agente Comunitário de Saúde (ACS) e Agente de Combate às Endemias (ACE) de Mato Grosso. 

Taques lembrou ainda dos esforços de Mato Grosso para amenizar os problemas de saúde, citando medidas como a lei que dobra os repasses aos municípios para atendimento na atenção básica.

Na ocasião, Eduardo Bermudez defendeu a necessidade de interiorizar a alta complexidade no estado. Segundo ele, é urgente o atendimento de alta complexidade em cardiologia nas região Sul e Norte de Mato Grosso, atendidas por Rondonópolis e Sinop. “É um clamor da sociedade e estamos estruturando. Temos uma nova equipe que irá atender Cuiabá e também para atender Rondonópolis e Sinop”, disse o secretário. Ainda nesta terça-feira, Bermudez vai se reunir com o secretário nacional de Atenção à Saúde, Alberto Beltrame, para definir sobre a alta complexidade em cardiologia nos dois municípios em questão. 

Sobre a necessidade de fortalecimento da saúde no interior, o secretário relatou que 60% dos atendimentos realizados em Cuiabá e Várzea Grande são a pessoas que saíram de outros municípios em busca de consulta, tratamento e cirurgias. Por isso, o governo precisou aportar mais recursos para o Pronto-Socorro de Várzea Grande, além de garantir recursos para o funcionamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Para ajudar a amenizar o problema, o Bermudez solicitou ao ministro apoio para a implantação de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) no Hospital de Água Boa. Segundo o gestor, a unidade tem possibilidade de ser equipada com esses leitos, o que ajudaria a desafogar o atendimento em outras regiões. Ele também explicou ao ministro como o Governo do Estado atua na administração dos hospitais regionais e que o plano é trabalhar com quatro modelos: Organizações sociais; consórcios entre os municípios; empresa pública de saúde (que ainda será criada) e por meio de Parceria Público-Privada.

O secretário de Estado de Saúde também pediu apoio para resolver o problema de dois hospitais filantrópicos (em Rondonópolis e Sinop)  que estão com máquinas de radioterapia quebradas, impossibilitando o tratamento de pessoas com câncer. 

Novas Unidades
Governador e secretários apresentaram ao ministro os novos hospitais que estão em construção no estado. “Em 31 anos não fizeram um hospital público na Capital. Estamos fazendo um repasse ao hospital São Benedito (R$ 2 milhões mensais para custeio), estamos juntos com o município de Cuiabá. Estamos construindo um novo pronto-socorro e a obra do Hospital Central que estava parada e que agora nós vamos terminar”, garantiu o governador.

O ministro reconheceu os feitos na saúde e parabenizou a administração estadual pelos modelos de gestão implantados. “Principalmente a descentralização da saúde no estado, está é a nossa prioridade aqui no ministério”, comentou o ministro. Para Marcelo Castro, o Sistema Único de Saúde (SUS) só funciona se houver uma sinergia entre todos as esferas envolvidas. “Somos parceiros, o SUS só funciona se houver uma sinergia”.

 

 

 

Natalie Luna/ Thiago Andrade | Gcom-MT

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário