03/04/2016 - Polêmica em show Marília Mendonça na Barra do Garças; Juiz divulga nota

03/04/2016 - Polêmica em show Marília Mendonça na Barra do Garças; Juiz divulga nota

O tão esperado show da rainha da sofrência Marília Mendonça começou em Barra do Garças às 03h40 da madrugada de sábado (2/4). O evento esteve ameaçado de não acontecer por causa de um embargo do Corpo de Bombeiros e só foi realizado após intervenção do juiz plantonista da comarca Wagner Plaza que compareceu na Arena do Porto do Baé e sanou as dúvidas que estavam pendentes. 

O embargo foi motivado pela falta de alguns itens de segurança no plano apresentado pelos organizadores do show ao Corpo de Bombeiros, que não foram sanados dentro do prazo previsto.
 
A secretária municipal de Turismo Mônica Porto informou que o embargo não tinha nada a ver com as condições do Porto do Baé e seria um impasse entre a comissão organizadora do show e o Corpo de Bombeiros. "Os organizadores me disseram que tentaram resolver o problema com o comandante regional do Corpo de Bombeiros, major Ranie, mas não conseguiram". explica Mônica.

Foi aí que os organizadores do show decidiram recorrer para justiça. "Nós ficamos sabendo que a interdição era por causa de alguns itens de segurança considerados até simples que poderíam ter sido corrigidos sem esse transtorno como pediram para afastar um pouco os camarotes de uma saída de emergência e retirar cavaletes que estavam na frente dos hidrantes”, destacou a secretária.

O juiz plantonista compareceu na arena do Porto do Baé na companhia dos bombeiros acompanhou a correção dos itens de segurança mencionados e assim autorizou o show. Os organizadores agradeceram o magistrado que possibilitou que três mil pessoas assistissem ao show. “Se fosse no horário previsto teríamos no mínimo seis mil pessoas”, comentou Mônica. 

Mais cedo, o major Ranie explicou que a decisão do embargo não foi tomada por ele e sim pela equipe técnica do Corpo de Bombeiros através do tenente Rebouças que observou a falta de alguns itens de segurança. 

O vereador Comandante Barbosa, que acompanhou a polêmica, fez questão de deixar claro que ninguém desmereceu o trabalho dos bombeiros que é uma das instituições mais queridas do Brasil e parabenizou o bom senso do juiz. “Cancelar um show em cima da hora causaria um caos. Nós agradecemos ao Wagner Plaza por sua decisão”, ponderou parlamentar.

Antes do show começar, teve um princípio de tumulto com algumas pessoas revoltadas com a demora do espetáculo que quebraram um dos portões de acesso do Porto do Baé. 

Nota do juiz Wagner Plaza sobre ocorrido no show de Marília Mendonça

Necessário fazer justiça ao Corpo de Bombeiros, pois li essa manhã várias inverdades na imprensa local e ainda comentários de cidadãos menosprezando o trabalho e competência dos Bombeiros de Barra do Garças.

O embargo à arena não ocorreu por 'preciosismo' ou mera de falta de documentos, mas sim por falta de itens de segurança e por despreparo dos produtores. Primeiro que deixaram para fazer o pedido de alvará junto ao CBM faltando só 3 dias, enquanto a lei exija que seja feito com ao menos 5 dias de antecedência. Isso não é formalismo, pois é um prazo necessário aos levantamos técnicos.

A par disso, desde quinta-feira os produtores foram notificados das irregularidades, mas não resolveram. Na real boa fé e esperança que fosse resolvido a tempo, foi que o embargo ocorreu na sexta-feira à noite.

As irregularidades, além das formais, como inexistência de RT assinada e pagamento de multa, haviam irregularidades graves, como os portões laterais da Arena estarem com correntes e cadeados, sendo que estes portões são as saídas de emergência. Havia um camarote que estava na rota de um desses portões, quase impossibilitando o acesso; em frente ao mesmo portão, os produtores colocaram um depósito. Haviam ainda gradils, mesas e placas metálicas obstruindo ou escondendo os hidrantes e os extintores. Vê-se que não foi má vontade dos bombeiros, mas sim incompetência dos produtores, pois desde quinta-feira feira sabiam dessas falhas.

Ao receber o Mandado de Segurança, prontamente liguei no CBM local e fui rapidamente atendido pelo Tenente Barbosa que me deu esses esclarecimentos. Assim, condicionei a ocorrência da festa ao cumprimento dos itens de segurança citados, determinando que o CBM fosse ao local e atestasse se foram cumpridas.

É fato que fui à Arena naquela madrugada e constatei que um dos portões estava com a tal corrente e cadeado, tendo um produtor me dito que servia para impedir que os populares invadissem o espaço pela polêmica; o que discordo totalmente, pois a segurança contratada pelo evento que devia impedir esse intento, mas jamais q obstrução de uma saída de emergência. Mas para meu espanto maior, fiquei sabendo que o cadeado do outro portão precisou ser estourado, pois não sabiam onde estava a chave. Lá na Arena ainda vi o constrangimento que foi imposto aos Bombeiros, posto que foram vaiados pela mesma população que estavam a proteger.

A imprensa presente não colaborou, pois sem autorização e sensibilidade tentava fazer imagens dos Bombeiros, fato que só cessou após minha intervenção, sendo que eu havia anteriormente lhes dito para não fazerem imagens, vez que existe a garantia ao direito de imagem.

Honradamente, ainda que ao som de vaias, não só vistoriaram como ainda retiraram alguns obstáculos. O evento só ocorreu porque os Bombeiros atestaram que havia segurança mínima. Ou seja, em nenhum momento revoguei a decisão deles. Ao contrário a ratifiquei! Registro que foi cientificado pelo CBM que não é a primeira vez que estes produtores cometem as mesmas falhas, apesar das orientações dadas. Deixei claro ainda que a autorização ontem dada não exige os produtores das responsabilidades administrativas e criminais.

Assim, venho a público externar minha confiança no Corpo de Bombeiros de Barra do Garças, na esperança que estes esclarecimentos coloquem as coisas nos devidos lugares, sobretudo encerrando comentários descabidos que estão se multiplicando.

Wagner Plaza Machado Junior.

 

 

 

Ronaldo Couto - Araguaia Notícia

Comentários

Data: 03/04/2016

De: Mato Grosso

Assunto: Reflexão

Se em Santa Maria -RS tivessem seguido às normas corretas do corpo bombeiros e juiz da Barra do Garças, mais de duzentos jovens não teriam perdido suas vidas!
Vamos refletir!

Novo comentário