03/06/2011 15h:11 Em seu blog, primeira-dama de São Félix desabafa sobre "chá de cadeira" em Cuiabá

 

A primeira-dama de São Félix do Araguaia, Luznayara Nogueira Magalhães, município localizado a cerca de 1.150 km de Cuiabá, região nordeste do Estado, faz um desabafo em seu blog Luznayara sobre um "chá de cadeira" que ela e mais duas amigas levaram em Cuiabá. Viajaram toda essa distância para discutir a questão do turismo naquela região mas, apesar da agenda marcada, não foram atendidas após horas de enrolação. Veja o texto:

 

Uma das piores situações para o ser humano é se sentir desconsiderado. Muito pior que levar bronca, receber xingamento ou similares, é sentir indiferença da parte dos outros.  Ninguém gosta de parecer invisível. Eu sempre procurei considerar as pessoas e suas atitudes ou reações, por mais simples ou ridículas ao meu ver . Isso um pouco faz parte da minha natureza e outro pouco porque  me educo para ser assim, porque acredito na compaixão, na educação, na consideração de uns com os outros e sempre enxerguei a falta de conhecimento de algumas pessoas a respeito de algumas coisas como natural e no que me compete, quando eu sei mais, sempre procurei repassar o conhecimento com todo o respeito pelo desconhecimento da pessoa, sem me achar "mais" ou melhor por isso. Natural que seja assim. É assim que devemos agir, sem mérito nenhum por isso e justamente por isso, por eu ser capaz de agir assim é  que espero que todos também sejam, mas infelizmente a realidade não é essa. Ainda existem pessoas que não se acham no dever de ter esse tipo de consideração. Mas quando acontece de eu ser a vítima, sinto muito mais, porque acho uma atitude tão obsoleta que me sinto envergonhada de ainda existirem pessoas assim. Por ocasião de uma viagem a capital do Estado, a trabalho, eu e mais duas amigas, também a trabalho e ainda junto com outras pessoas que nos acompanhavam, fomos vítimas desse descaso, de um caso que não ficou muito bem explicado, originado por uma expoente da política, muitíssimo considerada pela grande maioria lá da região onde moro, há 1.200 km.  Saímos de lá, com vários objetivos, sendo um, uma audiência marcada antecipadamente para tratar de assuntos importantes para nossa região turística, um pouco esquecida, no entanto, nossa esperança foi por água abaixo ao esperarmos durante toda a tarde e não sermos recebidos e nem merecermos nem unzinho contato por telefone, como seria tão educado fazer. Puxa vida, viemos de tão longe e fomos tratados com tanto descaso... Quando pela nossa humildade e compreensão, bastava um telefonema e teríamos acreditado nos percalços que impediram o cumprimento da audiência. Bom, casos , fatos, sejam lá o que tenha acontecido para impedir e provocar a desconsideração, o momento passou. Sobrevivemos, mas a marca ficou. Nem sei se um dia cicatrizará ou se simplesmente a gente se esquecerá como a gente costuma esquecer os malfadados momentos que não nos acrescentam nada. A questão é que junto com os momentos esquecidos, vão-se também as pessoas causadoras e aí o prejuízo pode ser maior. Mas tudo é ação e reação. Causa e efeito e as consequências aparecem. Consciência é para quem pode; ainda bem que a grande maioria tem. Beijo a todos.

 

Luznayara

Comentários

Data: 04/06/2011

De: cidadão!

Assunto: navalha na carne.

sei que não é o caso da 1º Dama, mas quantas vezes pessoas que não fazem parte dos que se dizem elite desta cidade, e por muitas vezes se tornaram invisiveis para o executivo onde tentam um palavra com a V.EXª e já passaram por tal constragimento...navalha na carne doi...as vezes temos que sentir para rever nossas atitudes, talves não cometida pela 1ª Dama, mais por aqueles que ha rodeia...

Novo comentário