03/08/2013 - Morador de rua mais querido de Chapada é cabo da Marinha que perdeu a memória andou pelo país

Investigação psicossocial aponta que “Universo”, o morador de rua mais conhecido e querido de Chapada dos Guimarães (65 quilômetros de Cuiabá), é um cabo da Marinha Brasileira que perdeu a memória e saiu viajando pelo Brasil. 

De acordo com o levantamento, há cerca de 10 anos ele abandonou o emprego e a família após crises psiquiátricas. Esta semana, “Universo”, cuja identidade é Bruno Adalberto Martins Pereira, 33 anos, retornou à cidade de Queimados, região metropolitana do Rio de Janeiro, onde morava, levado por um dos irmãos, Carlos Alexandre Martins Pereira. 

Dias atrás, internado para tratar de um ferimento no pé, Bruno recobrou parte da memória e lucidez suficiente para fazer relatos sobre sua família e história de vida à psicóloga Leslie Puntschart, da Secretaria de Saúde de Chapada dos Guimarães. 

Durante esse período de internação, contou o nome do irmão, Carlos Alexandre Martins Pereira, seu local de nascimento e outras informações. Também, que costumava “sentir muita pressão interna e que um dia remeteu a cabeça sobre uma manilha, sofrendo fratura craniana”. 

“Universo” vivia em Chapada sem nenhum documento pessoal. Foi na tentativa de fazer a documentação dele, e assim incluí-lo em algum benefício previdenciário, que a psicóloga localizou seu irmão por meio do cartório eleitoral. 

 

Carlos Alexandre disse que desde o sumiço a família não tinha informações sobre o paradeiro de Bruno. Jamais imaginaram que estaria em Chapada, em Mato Grosso. E ainda, que já ele havia saído casa antes, mas era localizado. 

Na época em que “Universo” sumiu os parentes chegaram a publicar fotos e distribuir cartazes na região na tentativa de localizá-lo. O desaparecimento teria ocorrido na segunda crise psiquiátrica. 

Considerado de grande inteligência, desde a adolescência Bruno, conforme relato do irmão, toca cinco instrumentos musicais, entre os quais bateria, guitarra e bandolim. Também seria um exímio enxadrista. 

Em Chapada dos Guimarães, tornou-se popular pela alegria, 
educação e por compartilhar bons momentos com os moradores e turistas de eventos culturais que sempre ocorrem na cidade. Tinha por hábito declamar poesias, cantar e conversar longamente com moradores sobre o mais variados temas, sempre surpreendendo pela inteligência. 

A jornalista Laura Lucena, que mora em Chapada, por exemplo, relatou que um dia, ao reunir-se na praça com amigos para tocar violão, conheceu a veia artística de “Universo”, que, para ela, seria o “mendigo mais culto que já viu”. “Ele tocou e cantou com um repertório que empolgou a todos”, escreveu Laura em seu blog, o portalchapadense.blogspot.com.br 

Pouco antes de deixar Chapada dos Guimarães, “Universo” voltou a ser o Bruno que a família conhecia. Ele, que vivia maltrapilho, com cabelo e barba grandes, recebeu roupas novas, fez a barba e cortou o cabelo. 

Também dormiu em um hotel, na companhia do irmão que acabara de resgatá-lo da rua, deixando para trás o lar improvisado em que transformara a varanda de um imóvel. Moradores contam que “Universo” dormia sob a varanda, mas passava o dia na porta da casa lotérica a na praça.

 

Diário de Cuiabá - Alecy Alves

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário