03/08/2015 - Estradas de MT são as mais perigosas do país

03/08/2015 - Estradas de MT são as mais perigosas do país

Pesquisa realizada em nove estados revela que as estradas de Mato Grosso são as piores do Brasil no quesito segurança. Foram entrevistados 1.241 motoristas no Estado que apontaram as rodovias como péssimas, obtendo a pior pontuação, 3,09, numa faixa de 0 a 10. Os dados foram coletados nos meses de fevereiro e março deste ano. 

O levantamento, feito pela Associação dos Direitos do Consumidor (Proteste), apontou para uma realidade preocupante, uma vez que a maior nota, considerada aceitável, alcançada pelo estado de São Paulo foi 6,53. 

As estradas de Mato Grosso receberam notas abaixo de 3 quando se trata de sinais luminosos em curvas, sinais horizontais, presença/largura de acostamento e segurança das curvas. 

Vice -presidente da Federação dos Trabalhadores em Transporte Rodoviários de Mato Grosso, Ledevino da Conceição, relatou quais são as principais queixas reportadas pelos motoristas à Federação. Falta de infraestrutura básica como limpeza das margens está entre elas. "O problema dos buracos persistem, mas há também falta de sinalização, limpeza, segurança, acostamento, locais adequados para paradas". 

Até mesmo as rodovias privatizadas não escaparam das críticas dos motoristas. Obras realizadas pelas concessionárias e preço cobrados nos pedágios desagradam. 

De acordo com a pesquisa, pouco mais de 65% dos entrevistados concordam que as obras encontradas nas estradas são bem sinalizadas. Porém, 74% acreditam que o remanejo do tráfego no entorno da obra cria situações de perigo. E 61% encontram restos de material na via muito tempo após o término das obras.

Ledevino também chamou atenção para a falta de opções para o escoamento da produção do Estado, praticamente feito por meio viário. "Nosso transporte é basicamente rodoviário, não temos trem - agora que está chegando a ferrovia em Alto Taquari e Rondonópolis - e nem transporte fluvial. Além disso quase toda matéria prima sai daqui, como madeira e alimentos como a carne e grãos". 

 

 

Priscilla Silva, repórter do GD
 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário