03/09/2014 - Teté e Wellington rebatem Veja e se dizem inocentes de acusações - veja

A candidata a vice-governadora pela Coligação “Amor à Nossa Gente”, Teté Bezerra (PMDB), rebate as acusações feitas pela revista Veja e se diz inocente sobre o suposto envolvimento em crimes de favorecimento de emendas para a empresa Planan, que fornecia ambulâncias superfaturadas para as prefeituras. O deputado federal Wellington Fagundes (PR), também inocentado, afirma que a Justiça Federal extinguiu a ação por falta de nexo causal e, por isso, não há sequer o mínimo indício o ligando ao caso.

 

De todo modo, Teté ressalta que foi absolvida em 2013. O esposo, deputado federal, que busca a reeleição, Carlos Bezerra (PMDB) também rechaça que a matéria da Veja é equivocada. “É recorrente e, novamente, equivocada, sem o menor esmero na apuração da verdade”. Bezerra ressalta que  sequer houve processo em julgado e lembra que foi instaurado inquérito perante a Justiça Federal de Mato Grosso, para se apurar crimes que teriam sido cometidos no caso “Sanguessugas” e seus possíveis autores.

 

Na ocasião, o procurador Antônio Fernando Barros e Silva de Souza concluiu que Carlos Bezerra não teria cometido crime de nenhuma natureza. Pedindo a exclusão do parlamentar do referido inquérito. O peemedebista reforça que o parecer do inquérito foi encaminhado para a então presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Ellen Gracie, que acolheu o parecer e o excluiu do  processo, levando a denúncia ao arquivamento.

 

Bezerra também destacou que durante sua gestão na presidência do INSS, houve denúncias de irregularidades e, imediatamente, o cancelamento do contrato da Dataprev. Lembra que mandou cancelar a realização da contratação antes da efetivação de pagamentos, não tendo ocorrido assim qualquer prejuízo aos cofres públicos.

 

Conforme o deputado Wellington, é no mínimo estranho se resgatar uma notícia defasada, que foi publicada em maio de 2012. Além disso, ressalta que é favorável que se façam investigações. Diz que sempre colaborou com a atuação dos órgãos de controle.

 

Entenda o caso

O caso ficou conhecido como Máfia das Sanguessugas, abastecido com emendas parlamentares. Tanto Teté quanto Carlos Bezerra foram denunciados pelo Ministério Público em 2006 e 2007. O casal foi acusado de formação de quadrilha, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Segundo o aplicativo citado pela revista Veja, eles teriam feito acordo para receber R$ 100 mil com o compromisso de favorecer a empresa Planan. A planilha apreendida pela Polícia Federal acusava pagamentos a um então assessor de Teté no total de R$ 84 mil.

 

Confira, abaixo, a íntegra da nota de Wellington Fagundes.

 

Em relação à matéria “Deputados são citados em aplicativo da Veja; processos foram arquivados” publicada por este site é importante restabelecer a verdade:

 

Wellington Fagundes foi o único parlamentar no Brasil a ser inocentado judicialmente no Caso Sanguessuga;

 

Isto é, o Ministério Público propôs a Ação Cível, mas a Justiça Federal de Mato Grosso extinguiu tal ação por falta de nexo causal. Isto significa que não havia sequer o mínimo indício ligando Wellington Fagundes a este caso;

 

Portanto, a Justiça Federal extinguiu a denúncia – e o Ministério Público também acatou tal decisão, que transitou em julgado.

 

A mesma medida ainda foi tomada pelo Conselho de Ética da Câmara Federal, por unanimidade;

 

Para tomar tal decisão, tanto a Justiça Federal quanto a Câmara averiguaram que à época da denúncia não houve uma emenda sequer de autoria de Wellington Fagundes junto ao Ministério da Saúde;

 

Wellington deixa bem claro que é favorável a que se façam investigações. E por isso sempre colaborou com a atuação dos órgãos de controle;

 

Isto posto, é importante registrar que é no mínimo estranho se resgatar uma notícia defasada, que foi publicada no site da Veja em maio de 2012.

 

Sendo que é de responsabilidade de todo meio de comunicação averiguar a veracidade dos fatos e ouvir os dois lados da notícia pedimos o restabelecimento da verdade.

 

Gilmar D’Moura

Assessoria Jurídica do candidato ao Senado pela coligação “Amor a Nossa Gente”

 

Deputados são citados em aplicativo da Veja; processos foram arquivados

 

 

Larissa Malheiros

 

Comentários

Data: 03/09/2014

De: KLJAU

Assunto: POLITICA SERIA

É O GOVERNO DA GAMBIARRA. SÓ FEZ ROLO E PALHAÇADA. AINDA TEM UM QUE TEMOS QUE DAR A RESPOSTA: WELITON FAGUNDES. FEZ PARTE DA BASE DO SINVAL E AGORA QUER POSAR DE ETICO.


ESSA TETE E O BEZERRA SAO O QUE HÁ DE MAIS PODRE NO ESTADO. SAO DO PMDB DO SINVAL. QUEREMOS MUDANÇA E COM GENTE BOA. TAQUES 12. ZECA VIANA 12345.

SOU ROGERIO SALLES DO PDT 456!

Novo comentário