04/01/2016 - Rede Sustentabilidade tenta construir alternativas para disputar eleições nas maiores cidades de MT; Cuiabá é incógnita

04/01/2016 - Rede Sustentabilidade tenta construir alternativas para disputar eleições nas maiores cidades de MT; Cuiabá é incógnita

Ainda incipiente em nível estadual, a Rede Sustentabilidade – liderada pela ex-ministra Marina Silva – trabalha para fincar raízes em Mato Grosso e lançar candidaturas próprias às prefeituras das maiores cidades, como passo essencial para o crescimento. E, entre as prioridades, está a busca de nomes com força política e envergadura moral que possam concorrer às prefeituras de Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Sinop, Cáceres e demais municípios.
 
Entre os nomes que podem disputar a Prefeitura de 
Cuiabá pela Rede, por exemplo, estão o ex-vereador Vicente Emílio Vuolo, e o presidente do Sindicato da Policia Civil de Mato Grosso, Cledison Gonçalves.
 
Para ser diferente, a Rede é o único partido que possui um presidente homem e outro mulher, chamados de porta voz pelo 
Estatuto da agremiação. “É um porta voz masculino e uma porta voz feminina, respeitando a diversidade de gêneros”, justificou o porta voz masculino Eron Cabral.

 
“A Rede é derivada de um movimento aberto, autônomo e suprapartidário. Tem como base a reinvenção do atual cenário político, surgindo como uma alternativa para a nova política, comprometida com as causas populares, diante de um momento histórico contemporâneo”, ponderou a porta voz feminina Wellen Cândido Lopes.
 

Eron Cabral lembra que a concepção da rede parte da agremiação de uma organização baseada nos pilares da sustentabilidade, inclusão, igualdade e respeito á diversidade.
 
Já Welen Cândido destaca que, na Rede, a mulher tem papel de destaque. “Como modelo inovador de nova política, a presença da mulher é obrigatória nos cargos de direção e composição dos elos(diretórios). Na Rede, não há a figura de presidente e sim de porta voz”, ponderou ela. “E o que difere dos demais partidos é que na Rede é necessário que haja um porta voz masculino e uma porta voz feminina, respeitando a diversidade de gêneros. Assim, o espaço político também é um direito da mulher”, ponderou ela.
 
A reforma política com a possibilidade de candidaturas independentes, sem a necessidade de filiação partidária na Rede, é uma de suas bandeiras do partido de 
Marina Silva. “Isso significa que a Rede Sustentabilidade se abstém do monopólio de cargos eletivos, prática bastante comum nos demais partidos políticos. Para as candidaturas cívicas independentes é reservada a cota de 30% das vagas nas eleições, respeitando a participação de cada sexo”, explicou Wellen Cândido.
 
Nesse contexto, outra bandeira defendida pela Rede é o fim da reeleição para cargos no Poder Executivo (presidente, governador e prefeito), evitando assim, o uso indevido da máquina pública para fins eleitorais. “No atual cenário político é comum presidir os partidos os detentores de mandado eletivo. Na Rede, esta pratica é totalmente proibida”, ponderou Wellen Lopes, para a reportagem doOlhar Direto. E mais: “os detentores de mandado eletivo  não podem exercer cargos de direção na Rede”.

A Rede prevê, em seu 
Estatuto, um prazo inicial de duração de suas atividades por um período de 10 anos, a contar da data de seu registro. Isto significa que no ano de 2025, todos os seus filiados deverão se reunir e, através de uma consulta prévia, decidirem a viabilidade da continuidade da Redecomo partido político. “A Rede não recebe doações financeiras de empresas que desenvolvam atividades nos ramos de bebidas alcoólicas, cigarros, arma e agrotóxico”, registrou a porta voz feminina da Rede em Mato Grosso.
 

Rede Sustentabilidade em MT

A porta voz feminina em Mato Grosso é a advogada e pedagoga 
Wellen Cândido Lopes. Defensora dos direitos das minorias, já desenvolveu atividades sociais e culturais em parceria com outras entidades.

Em fase de construção, a Rede já está presente em 41 municípios de 
Mato Grosso. Em Cuiabá, a construção da Rede Sustentabilidade conta também com colaboradores da estirpe de Archimedes Pereira Lima Neto, Renato Santana e Eron Cabral, entre outros.

“Na Rede Sustentabilidade, a juventude tem voz e opinião. Exemplo disto foi á filiação de 
Fellipe Corrêa, um dos fundadores do Projeto Subiu, que atualmente desenvolve atividades esportivas gratuitas para os jovens”, citou Wellen Lopes.
 
A Rede Sustentabilidade pretende ir ás ruas e ocupar os espaços públicos. As reuniões abertas da
Rede visam o diálogo com a comunidade para o debate dos temais que compõe o atual cenário político.
 
O primeiro encontro aberto foi realizado em 11 de dezembro, na Praça 8 de Abril (Choppão), região
Oeste de Cuiabá, e contou com a participação da população em geral e de líderes que estão se aproximando da Rede. Alguns são simpatizantes de seus ideais políticos ideológicos,  como o ex-vereador Vicente Vuolo, servidor de carreira do Senado e ex militante do PT; e de Marcão, um dos fundadores do PSOL em Mato Grosso.


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Da Redação - Ronaldo Pacheco

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário