04/02/2012 - Polícia Civil apreende 800 comprimidos de ecstasy com duas pessoas na Capital

 

A Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso apreendeu uma grande quantidade de droga sintética, na noite de quinta-feira (02.02), na Capital. Cerca de 800 comprimidos de êxtase ou ‘ecstasy’, 4 mil euros - equivalente a R$ 12 mil -, R$ 400, foram encontrados com dois homens do  Estado do Mato Grosso do Sul, em um hotel na região do Coxipó. A droga sintética é considerada a maior já apreendida pela Polícia Civil em Mato Grosso.
 
O delegado adjunto da Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes, Gustavo Garcia Francisco, disse que a Delegacia recebeu uma informação da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, de que duas pessoas de Campo Grande (MS), viriam para Cuiabá para distribuir a droga sintética. “Fizemos o levantamento dos principais  passageiros dos vôos de Campo Grande e identificamos os rapazes”, disse o delegado.
 
O material estava em poder do DJ Jailson Antônio da Costa, 34, e Neiriman Justino Cardoso, 37, que tinha chegado à tarde de quinta-feira (02.02), em Cuiabá, para distribuir a droga, possivelmente nas festas do carnaval. O segundo preso, Neiriman mora na Espanha e tem passagem por tráfico de ecstasy.
 
Com os presos também foram apreendidos celulares novos, relógios de marca, um câmara fotográfica, além de uma mala cheia de roupas, todas de marcas, dos acusados. Eles vão responder por tráfico interestadual de droga.
 
O delegado informou que, possivelmente a droga veio camuflada nas roupas íntimas dos traficantes e isso, inviabilizou a descoberta no aeroporto. “Há todo um preparo deles para inutilizar a fiscalização”, acrescentou.  
 
No hotel, a droga estava acondicionada dentro de uma mochila. Toda a droga está avaliada em R$ 40 mil. Um comprimido é vendido nas festas pelo valor de 50 a 100 reais, dependendo do nível do frequentadores.
 
O êxtase ou ecstasy é um derivado da anfetamina, conhecido como 3,4- metilenodioximetanfetamina (MDMA). A droga é conhecida também como a  "droga do amor" e pode ser classificada tanto como um psicoestimulante, semelhante a cocaína e as anfetaminas, como também ser agrupado com os alucinógenos, devido as alucinações e "flashbacks", que causa, quando usado em doses muito altas.
 
LUCIENE OLIVEIRA/ Assessoria/PJC-MT

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário