04/03/2016 - Médicos de Cuiabá entram em greve

04/03/2016 - Médicos de Cuiabá entram em greve

A partir da próxima segunda-feira (07), os 500 médicos da rede municipal entram em greve por tempo indeterminado. A greve foi definida em assembleia geral na quarta-feira (02). Sem o cumprimento da pauta de reivindicações a categoria iniciou o movimento.

A presidente do Sindicato dos Médicos de Mato Grosso (Sindimed/MT), Eliana Siqueira informou que o prefeito Mauro Mendes não se importa com a categoria e nem com a população, por isso não tem como trabalhar nestas condições precárias.

“Não podemos mais fechar os olhos e trabalhar sem condições e não conseguir prestar um atendimento de qualidade para a população que depende da rede pública de Cuiabá. A saúde está pedindo socorro e faz tempo. Assim como os enfermeiros, nós médicos também exigimos providências quanto ao caos de saúde instalado na Capital, é hora dos diferentes poderes atuarem para resolver os graves problemas que denunciamos e vivenciamos no dia a dia!”, afirma a presidente.

Os pontos questionados pelos profissionais são atrasos no pagamento de salários, más condições de trabalho e infraestrutura (falta de medicamentos e de estrutura para exames básicos). O Sindimed informou que vai manter em 100% os atendimentos de urgência e emergência , na classificação de vermelho e amarelo. Durante a greve será mantido 30% do quadro efetivo dos funcionários para atender a população.

"O corte de 14% no Prêmio Saúde que atingiu todos os trabalhadores da saúde, foi o estopim para a mobilização conjunta das categorias. Dentre as reivindicações do Sindimed - MT estão o pagamento das horas extras, adequadas condições de trabalho para atender melhor a população e a implantação do Piso Nacional dos Médicos que é R$ 12.993 mil por 20 horas semanais. “Com um salário de R$ 3,8 mil afasta os especialistas que desistem antes de assumirem os cargos quando passam no concurso”, comenta Eliana.

A categoria também quer o pagamento do Reajuste Geral Anual, cumprimento dos Acordos Coletivos homologados na Justiça e o adequado preenchimento das escalas de plantão defasadas de médicos e profissionais de enfermagem.

Apoio
Os profissionais de enfermagem já estão em greve desde o dia 29 de fevereiro. O Sindimed apóia o movimento desses profissionais que reivindicam a implantação do PCCS da categoria, convocação dos profissionais de enfermagem aprovados no Concurso Público nº 001/2012 e reajuste de remuneração .

 

 

Soraya Medeiros, repórter do GD

Comentários

Data: 04/03/2016

De: waldemir rodrigues de matos

Assunto: greve

estão de todos de parabéns, c não fizer assim não se consegue nada.

Novo comentário