04/04/2011 - 10h:42 Pleito de servidores é de R$ 1 bi; governo tem R$ 107 mi

As discussões acerca da reestruturação das carreiras de algumas categorias do Estado prometem ir longe e está longe de governo e servidores entrarem num acordo. Isso porque, o governador Silval Barbosa (PMDB) informou que a alteração salarial reivindicada pelos sindicatos chega a R$ 1 bilhão, porém o governo tem o limite de gastar apenas R$ 107 milhões.
“Eu assumi o governo há três meses e o pleito dos servidores chega a R$ 1 bilhão, mas só tenho R$ 107 milhões. Quero reestruturar os cargos e carreiras de todas as categorias. Todos serão ouvidos e estou acompanhando a discussão juntamente com o secretário de Administração, César Zilio, e vamos tentar um acordo”, declarou Silval em entrevista ao Olhar Direto.
No ano passado, a Assembleia Legislativa aprovou a lei 9329 que dispõe sobre aumento dos subsídios dos servidores civis e militares, ativos, inativos e pensionistas do Poder Executivo. Prevendo a reestruturação de cinco carreiras, porém até o momento governo e sindicatos não entraram em acordo e as ameaças de greves são inúmeras.
De acordo com o chefe do Executivo, o governo poderá propor aos servidores um aumento ao longo dos quatro anos, dentro um planejamento do Estado. “Se não estabelecer o que eles (servidores) querem, vamos fazer um planejamento e pagar as correções nos próximos quatro anos”, avisou Silval.
A cobrança tem sido intensa principalmente pelas promessas de Silval durante a campanha. Os servidores apoiaram o peemedebista com a garantia de que teriam o Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS) revistos.
Os grupos que estão em negociação com o governo são TAF, saúde, área instrumental, desenvolvimento econômico, servidores do sistema agrícola, entre outros.

 

Da Redação - Alline Marques