04/04/2012 - “O Giro do Divino”: documentário registra manifestação cultural e religiosa de Mato Grosso

04/04/2012 - “O Giro do Divino”: documentário registra manifestação cultural e religiosa de Mato Grosso

 

“Esta festa não se acaba Esta festa não tem fim Se esta festa se acabar Meu Deus, o que será de mim”

 

 

O Giro do Divino Espírito Santo é uma rica expressão da religiosidade popular brasileira, e tem como base a partilha, a igualdade e a vivência comunitária. Em maio de 2009, os produtores Maíra Ribeiro e Alexandre Lemos notaram um movimento diferente nas ruas de São Félix do Araguaia, cidade do norte mato-grossense em que haviam acabado de chegar, vindos de São Paulo. Um rufar de tambores cruzava as ruas e as casas se abriam para receber a bandeira. “Acompanhamos o Giro do Divino Espírito Santo de 2009, conhecemos, almoçamos, nos abençoamos, e tivemos o desejo de fazer um registro à altura desta manifestação” conta Maíra.

O resultado dessa experiência é o documentário “O Giro do Divino”. O filme acompanha o giro do imperador Antônio Ribeiro. Os foliões nos contam e cantam sua devoção, mantendo viva uma das mais antigas tradições brasileiras com sua fé e sabedoria.

Durante os oito dias de giro, a comunidade reforça seus laços de comunhão, de devoção e espiritualidade, encontrando-se para almoçar, rezar, jantar, dançar na casa de um e de outro. É um ponto de encontro dos jovens, é uma renovação de fé para todos. Ao contrário do que ocorre em outros lugares, possui o respeito da Igreja Católica local, conhecida pela linha de teologia da libertação, representada principalmente pelo bispo emérito Dom Pedro Casaldáliga. Toda organização e decisão do evento são feitas pelos próprios devotos e foliões. É a fé expressa do povo para o povo.

 

Lançamento

Realizado com apoio do Programa de Apoio à Cultura da Secretaria de Cultura de Mato Grosso, o documentário “O Giro do Divino” será lançado no mês de abril em São Felix do Araguaia e na capital do estado, ambos com entrada gratuita. Em São Felix do Araguaia, será apresentado em primeira exibição no dia 07 de abril, sábado, às 19 horas na Câmara Municipal, na Av. Gov. José Fragelli, 772. Em Cuiabá, o filme será exibido no dia 14 de abril, sábado, às 20 horas, no Salão Social do SESC Arsenal, situado na Rua 13 de junho, s/n.

 

Ficha Técnica

Documentário audiovisual “O Giro do Divino” (2012)  

Autores (produção, roteiro e direção): Maíra Ribeiro e Alexandre Lemos

Trilha Sonora: Guarani da Viola e Alexandre Lemos

Montagem: Carlos Magalhães

Câmara: Pere Herms e Gilberto Freitas

Duração: 29 minutos

 

SOBRE OS REALIZADORES:

Maíra Taquiguthi Ribeiro é bióloga, flautista, indigenista e produtora cultural. Paulistana, formou-se em biologia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) em 2005, trabalhando nas áreas de agroecologia e desenvolvimento rural sustentável. Atualmente é indigenista na Funai de Nova Xavantina, Mato Grosso. Foi integrante do grupo de pífanos Flautins Matuá de 2004 a 2008, onde desenvolveu trabalho de pesquisa em expressão corporal, danças brasileiras, música espontânea, aprofundando-se na cultura popular brasileira. Em Mato Grosso desde 2009, conheceu a cultura do vale do Araguaia. Enveredou-se na produção cultural, realizando projetos em diferentes áreas culturais, como produção de CD, exposição fotográfica, concepção de cineclube. O registro do giro do Divino Espírito Santo é sua primeira incursão na área do audiovisual. Forma com Alexandre Lemos o grupo Malê, de pesquisa e produção de cultura popular. A dupla lançou recentemente o CD de música instrumental “Malê”.

 

Alexandre Oliveira Lemos é músico, arte-educador, artista plástico e produtor cultural. Cursou bateria e percussão popular na Universidade Livre de Música Tom Jobim (ULM) em São Paulo de 2000 a 2004. Complementou sua formação com cursos de percussão afro na Casa de Cultura Tainã;  flamenca na Escola Tablau; e em pesquisas independentes com grupos d ecultura popular pelo Brasil. Atuou como baterista e percussionista nos grupos Trombada-Auê (Vinhedo), Trio Mucama (São Paulo), Orquestra Jovem da PUC (Campinas), Flautins Matuá (Campinas) e atualmente no grupo Malê (Nova Xavantina). Realizou trabalhos com trilha sonora de peças teatrais com o Grupo Peleja e o Teatro de Tábuas. Em Mato Grosso, atuou como arte-educador em São Felix do Araguaia e Nova Xavantina. Atualmente, trabalha com a valorização das manifestações culturais xavantes. Forma com Maíra Ribeiro o grupo Malê, de pesquisa e produção de cultura popular. A dupla lançou recentemente o CD de música instrumental “Malê”.

 

Mais informações: http://projetomale.wordpress.com/divino

projeto.male@gmail.com

66 3438-1027