04/05/2015 - Pedro Taques prepara enxugamento também nas autarquias

O governador Pedro Taques (PDT) continua firmemente determinado a reduzir a máquina administrativa, diminuindo o número de servidores e promovendo ajustes para que o Estado fique mais próximo da população, atendendo como mais eficiência todos os setores da sociedade. Dentro desta política, que teve início logo após a confirmação de sua vitória nas urnas, quando anunciou que iria diminuir o número de secretarias, Pedro Taques quer agora iniciar o mesmo processo em outros setores do governo, aos autarquias. 

 

“O objetivo é deixar a máquina enxuta, fazendo aquilo que dela é esperada, melhor atendimento”, disse o secretário de Planejamento, Marco Aurélio Marrafon, o escolhido pelo governador para comandar o enxugamento da máquina. Agora a próxima tapa será o o possível deslocamento de autarquias como Intermat, Cepromat e Metamat. Outros órgãos, como MT Gás, também serão analisadas nessa etapa. 

 

“A terceira etapa demanda um estudo muito maior, que é o problema das descentralizadas. Iremos estudar a melhor forma para cada uma delas, se é autarquia, empresa pública, voltar para administração direta ou até extinguir a empresa”, disse o secretário, que explicou que a reforma irá valorizar, principalmente, as autarquias mais leves, eficientes e que gastem menos. Toda a mudança será feita por meio de um ou mais projetos de leis que serão encaminhados à Assembleia Legislativa. No entanto, o secretário não sabe se isso será finalizado ainda em 2015. 

 

“Vamos analisar qual autarquia tem a estrutura mais leve, que custa menos e seja mais eficiente, aquela que pode fazer parceria pública privada. Isso vai demandar a análise de uma a uma delas. E vai precisar de diversos projetos de lei, cada um direcionado a uma autarquia, caso não conseguimos consolidar tudo em um único texto”, afirmou. “Então, vamos analisar todas as descentralizadas, mas não necessariamente irão mudar, pois só mexeremos naquilo que for necessário, que for mais econômico e eficiente”, completou. 

 

“A terceira etapa será para o segundo semestre. Para esse semestre, vamos focar no enxugamento dos custos para deixar o Estado mais leve. O Estado já está mais leve estruturalmente, com a primeira etapa. Agora, temos que deixar mais leve economicamente. Essa é a ideia da segunda reforma. Ai, então, vamos à última ponta dele”, disse Marrafon. 

 

 

 

Jonas Jozino | Redação 24 Horas News

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário