04/06/2015 - Pedófilo que aliciava amigas do filho através do WhatsApp é preso em Alto Boa Vista

Um homem acusado de trocar mensagens com conteúdo pornográfico com amigas do filho de 11 anos de idade foi preso em flagrante pela Polícia Judiciária Civil, na segunda-feira (01.06), em Alto Boa Vista. O acusado de 58 anos, aliciava duas meninas de 11 e 12 anos, através do aplicativo WhatsApp.

O trabalho integra o planejamento da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) que visa reduzir os índices de crimes cometidos contra crianças e adolescentes no Estado.

As investigações iniciaram há 15 dias, quando a mãe de uma das garotas fez a denúncia na Delegacia de Alto Boa Vista, da ação do suspeito. De acordo com a mãe da vítima, a própria filha contou para ela que vinha trocando mensagens com o acusado há cerca de 3 meses.

Segundo o delegado Marcelo Henrique Maidame, o pedófilo pegou o contato das amigas do filho e mandava mensagens de conteúdo erótico, ofensivas e com ofertas de dinheiro e presentes em troca de um encontro."Ele tinha preferencia por garotas menores de 14 anos de idade", disse

O suspeito passou a ser monitorado pela equipe policial e na noite de segunda-feira (01), foi preso em flagrante em sua residência, enquanto trocava as mensagens com uma das garotas. Após a prisão, o pedófilo foi conduzido à delegacia e autuado em flagrante pelos crimes de favorecimento a prostituição e corrupção de menores.

De acordo com Maidame, não há evidências de que o acusado tenha conseguido ter contato físico com as vítimas. Para o delegado, as redes sociais são uma porta de entrada para esse tipo de crime, sendo constantemente utilizadas pelos criminosos para a abordagem de crianças e adolescentes.

“As redes sociais, os chats, e os bate-papos via Internet há tempos são utilizados como meio para a abordagem criminosa, mas o aplicativo WhatsApp é uma tendência que tem facilitado a ação dos autores desse tipo de crime”, destacou.

O delegado representou pela prisão preventiva do suspeito e aguarda o deferimento da Justiça.

 

 

Escrito por assessoria de imprensa

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário