04/07/2016 - PPP é alternativa para melhorar rodovias

04/07/2016 - PPP é alternativa para melhorar rodovias

O presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Endrigo Dalcin, defendeu as parcerias público-privadas como alternativa para melhorar as condições das rodovias no Estado. No lançamento do Circuito Aprosoja 2016, ele lembrou que o “deficit” rodoviário em Mato Grosso abrange 4,3 mil quilômetros.

“Existem mais de 7 mil km deficitários, dos quais 2,7 mil km são atendidos com o Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) regional. Então, o governo ainda vai ter que ‘correr muito atrás’. Tem vários municípios que sequer são interligados por asfalto e o programa Pró-Estrada (lançado ainda na gestão anterior) termina agora”.

Dalcin acrescentou que as associações de produtores rurais têm interesse em cuidar da manutenção das estradas nas regiões onde atuam, por entenderem que são investimentos que revertem em benefício da própria região. 

BR-163

Obras no trecho da BR-163 a partir da divisa de Mato Grosso com o Pará serão executadas conforme um novo calendário. Até Miritituba, no Pará, restam 104 km ainda não pavimentados. O serviço foi dividido entre duas empresas e uma delas está mobilizada para concluir 20 km de asfalto até o fim deste ano, segundo informações do diretor executivo do Movimento Pró-Logística, Edeon Vaz Ferreira.

A estruturação do trecho rodoviário até Miritituba é estratégica para o escoamento da produção agrícola de Mato Grosso. Segundo o superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit) em Mato Grosso, Orlando Fanaia Machado, o traçado rodoviário sob administração do órgão no Estado está concluído e em manutenção constante.

O cronograma para conclusão do trecho no Pará foi estabelecido após visita técnica, este mês, à rodovia por equipes da Aprosoja e do Movimento Pró-Logística. O diretor executivo do Movimento comenta que o calendário inclui manutenção de trechos da BR-163 já pavimentados, mas atualmente em situação precária de trafegabilidade. 

 

 

Silvana Bazani, repórter de A Gazeta

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário