04/08/2014 - Sinop: Detento fala ao vivo em TV e dá 24h para diretor regularizar visita íntima

Um homem que seria um detento do Presídio Ferrugem, em Sinop, falou ao vivo no programa “Cidade Alerta”, da TV Capital (afiliada à Rede Record), apresentado pelo ex-vereador Gilson de Oliveira, nesta segunda-feira, e fez graves ameaças caso as visitas íntimas naquela unidade prisional não sejam feitas de forma igualitária.

Segundo o homem, os ataques a seis ônibus da empresa Rosa e a um caminhão caçamba, ontem à noite, foram ordenados de dentro do Ferrugem para “chamar a atenção” da sociedade. Conforme o que ele disse, tais atos criminosos aconteceram por que alguns presos estariam recebendo tratamento diferenciado.

Aduz o preso que ele e outras dezenas de reeducandos passaram a receber as visitas íntimas em um local determinado pela direção do presídio como “ponto de encontro”. Mas que tal local não seria adequado, sem cama e ventilador, e com banheiro sem condições mínimas de higiene. Enquanto isso, nas palavras dele, outros presos ligados a uma igreja evangélica continuaram recebendo as esposas em celas com cama e ventilador.

“Nós erramos e sabemos disso. Nós roubamos, traficamos e até matamos e estamos pagando por isso. Mas é justo que pessoas que mataram e estupraram crianças, agora que se tornaram evangélicos, tenham regalias aqui dentro?” , indagou ao vivo na TV.

O detento disse que as autoridades têm 24 horas para regularizarem as visitas íntimas para todos os presos e que elas aconteçam de forma igual para todos. Asseverou que novos atentados poderão acontecer, inclusive com ataques a prédios públicos e até mortes. O suposto preso teria ligado para o celular de plantão da TV Capital, cujo número é divulgado durante a programação.

O agente prisional Pedro, também em entrevista à TV Capital, confirmou que as visitas íntimas passam por novo procedimento. Segundo ele, os reeducandos recebem as companheiras no “ponto de encontro” para depois, quando forem retornar para as celas, serem revistados pelos agentes, evitando assim a entrada de drogas e telefones celulares.

O comandante regional da Polícia Militar de Sinop, coronel Celso Barbosa, também falou ao vivo no programa e disse que a PM está atenta e pediu a colaboração da sociedade com informações que possam identificar os autores dos incêndios realizados ontem. Também disse que, junto com a Polícia Civil, investiga a origem da ordem para que os atos criminosos ocorressem.

 

 

Escrito por Alexandre Alves

 

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário