04/08/2015 - Professores da rede pública entram em greve

Os professores da rede municipal de ensino de Várzea Grande paralisaram as atividades nesta segunda-feira (3). A greve foi aprovada em assembléia com representantes de 57 instituições de ensino, de um total de 84 entre escolas e Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI). Estima-se que mais de 23 mil alunos estão sem aulas.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Várzea Grande (Sintep/VG), a intenção da greve havia sido declarada antes do inicio das férias estudantis, mas como as duas propostas apresentadas, nesse período, pelo município foram insuficientes,a greve foi deflagrada.

Para o presidente do Sintep, Gilmar Soares Ferreira, o grupo não exige nada além do que está previsto na legislação. "Nós queremos o reajuste de 13,66% para todos os profissionais da área e vamos continuar na luta até que consigamos", declara.

Além da questão salarial, a categoria reivindica a revisão do plano de carreira, o pagamento de diferenças salariais de 2012 a 2014, o pagamento das diferenças do enquadramento de 2010, a profissionalização dos funcionários, e o calendário de gozo das licenças prêmio e férias. Confira as razões da greve alegadas pelo sindicato pelo link: site40709.hospedagemdesites.ws/razoes-da-greve-dos-trabalhadores-da-educacao-de-vg/

Outro lado

A Secretaria Municipal de Educação declarou vem dialogando com o movimento e respeita a decisão do movimento, já tendo apresento duas propostas que foram rejeitadas pela categoria, sem contra proposta.

De acordo com eles o documento oficial declarando a greve foi apresentado apenas na tarde desta segunda-feira (3), e devido a isso ainda não possui nenhuma declaração oficial. Mas reforça que a proposta se mantém inalterada. "A nossa oferta está muito acima do que a ofertada pelo governo federal e pelo estado".

 

Flor Costa, especial para o GD

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário